mais beleza, menos pressa, por favor.

Como eu queria poder dedicar mais horas do meu dia ao querido Google Reader! Aos itens compartilhados pelos amigos. Se bem que alguns ando dispensando (talvez seja a hora de dar “unfollow”) mas graças ao bom Deus a maioria dos amigos e conhecidos virtuais tem contribuído com muitas coisas bacanas. Inspiração, saca? Parece que acordo no dia seguinte disposta a fazer dos meus dias um pouco mais parecidos com as bonitezas que vejo por aí. E essa foi uma delas:

Alisa e Jared: fotografados pelo site From Me To You.

As coisas andam cada vez mais corridas, fato. Falta-nos o famoso “teeeempo” para dançar mais coladinho, pra demorar mais 10 minutinhos no café da manhã, saboreando a torrada sem deixar cair os pedaços pelo caminho. Tempo que não sobra pra conversar com a mãe, com o namorado, pra saber dos planos do casamento do irmão. Tempo que não sobra pra ler um bom livro, caminhar sem compromisso, sem pressa de chegar logo em algum lugar.

Às vezes sinto uma “invejinha branca” da vida no interior. Não necessariamente interior mas uma cidade um pouco menor, onde eu não precise levar pelo menos 1h para chegar ao trabalho. Com menos poluição, menos barulho, mais calma. Mais gentileza. Ao mesmo tempo, parece que quando você cresce nessa maluquice fica difícil simplesmente se desligar. Se desplugar da Matrix. Ah contradições da vida pós-moderna: queremos a tranquilidade da vida pacata mas ao mesmo tempo não abrimos mão das facilidades e prazeres da vida urbana.

Via 100 Layer Cake.

Compartilhe por aí:
  • email
  • Delicious
  • Tumblr
  • Facebook
  • http://www.itspop.com.br GISELE

    lindo!!!!

  • http://tem-que-ser.blogspot.com ge

    olha, eu acho que nesse sentido eu não tenho tido muito sobre o que reclamar. moro entre curitiba e guarapuava. digo isso porque ainda não me decidi onde moro de fato, e na verdade passo metade da semana em cada uma das cidades. ao mesmo tempo, sempre que eu vou pra um ou pra outro lugar eu digo “estou indo pra casa”. curitiba é uma boa cidade, dessas em que eu tenho o que fazer, tenho pessoas queridas por perto, tenho meu canto que eu gosto demais. em curitiba eu ando a pé ou de ônibus, mas é tudo rápido, diferente do que eu vivia em são paulo, época em que precisava ir semanalmente pra lá. valorizo muito levar menos que meia hora para se chegar a um lugar.

    mas guarapuava é o lugar em que eu tomo chimarrão com minha mãe, saio jantar com minhas amigas na casa delas e não em restaurantes caros. é o lugar que em 4 MINUTOS contatos no relógio eu estou no trabalho.

    mas aí eu quero ser professores e beleza, guarapuava é propício. mas eu também quero ser psicanalista, e como ser psicanalista numa cidade pequena, em que as pessoas tem baixo poder aquisitivo? complicado. e eu me encontro eternamente dividida nessa pergunta: onde é minha casa?

  • http://ronise.blogspot.com ronise

    para quem mora no rio ou sp curitiba pode parecer tranquila, mas quando eu vou passar 1 semana trabalhando com meu pai em Campo Mourão, que é no interior do Pr, eu vejo como o ritmo lá é bem mais tranquilo, todo mundo vai pra casa almoçar e 18h fecha tudo. não tem essa de trabalhar até mais tarde, fica pra amanhã. mas não sei se eu queria morar lá não, gosto assim pra passar uns tempos. por outro lado, tb não gostaria de sair daqui pra ir pra uma cidade maior.

  • http://sempickles.com/ Raquel

    duas lindas que moram em curitiba comentando no meu post… isso deve ser um sinal!

    eu entendo bem o ponto de vista de vcs. mesmo morando no rio, uma cidade grande, acho que aqui AINDA CONSEGUE ser mais tranks que sp… e curitiba consegue ser, de longe, mais tranks que o rio.

    não tem jeito, parece que uma vez tirado da tranquilidade e de uma vida um pouco mais “confortável” a gente não consegue se contentar com um lugar. porque, talvez, não existe o_lugar mas os_momentos.

  • http://tem-que-ser.blogspot.com ge

    sinal de que você tem que vir pra cá, comer minha famosa macarronada!

  • http://likeamovie.org/blog Bárbara

    Ah sim, curitiba é beeeeeem mais tranquilo que São paulo ou Rio. Mas a cada dia que passa, vejo que Curitiba está indo pro mesmo ritmo das megalópoloes… Trânsito, violência…
    Nem tudo pode ser perfeito, né?
    =*

  • http://sempickles.com/ Raquel

    eu venho falando dessa passagem por curitiba há algum tempo, dona angela… a fer já fez o convite e eu tô doida pra aceitar!

    vamos conversar sobre o assunto por email? tô doida pra encontrar vocês (e comer seus quitutes)!

  • http://blog.racheldias.com Rachel

    Falou tudo, Raqz!

    Ó, o convite pra visitar minha casinha está feito! Você já encontrou a sua por aqui?

    Bêjo, bêjo =*

  • http://sempickles.com/ Raquel

    Ainda não. Meio que dei um tempo nas buscas mas tô sempre de olho… N’outro dia, estive no Center Shopping pela primeira vez e lembrei de você!

    Um beijo!

  • http://www.amandacosta.com/blog Amanda

    Engraçado, pensei muito sobre isso ontem. Às vezes parece que, se não ficamos muito alertas, entramos naquele ‘modo automático de vida’, meio robotizado, corrido, mecanizado… e deixamos as coisas mais importantes de lado, incluindo nós mesmos. Eu tenho zilhões de revistas no zinio que ainda não foram lidas, acordo super cedo para trabalhar (inclusive nos fins de semana), tô sempre sem tempo de ver minha família e meus amigos… é necessário parar e pensar se é dessa forma mesmo que quero viver.

    Criei um blog para mostrar minhas fotografias, além do elle-est-carioca, passa lá. :)

  • http://sempickles.com/ Raquel

    Oi, Amanda!

    Eu tava me sentindo exatamente assim. Na real, ainda me sinto mas tento encaixar coisas que gosto de fazer nessa correria toda. Não dá pra entrar numa de se dedicar full time a trabalho e esquecer que “há vida lá fora”. E tá uma coisa LINDA esse teu site de fotografias! ;)