Archive of ‘amor’ category

Starbucks e realidade aumentada no Valentine’s Day

A Starbucks já havia investido em realidade aumentada para promover a marca. Dessa vez, deu-se um “tapa” no aplicativo, que ganhou roupa nova: está todo trabalhado no clima de Valentine’s Day.

O Valentine’s Day, famoso Dia dos Namorados dos gringos, é uma das datas mais celebradas lá fora (aqui no Brasil a gente também não foge à regra). As prateleiras dos supermercados e grandes lojas de departamento ficam tomadas por bichinhos de pelúcia fofos, corações e presentinhos cor de rosa e vermelho. Lembro que na minha época de Estados Unidos, até as inocentes jelly beans vinham em potinhos fofos. Eu fiz a festa, afinal adoro uma “tranqueira” em formato de coração.

O aplicativo Starbucks Cup Magic traz, nessa nova edição, cartões virtuais feitos especialmente para a data. E com os copos da edição limitada, é possível interagir com a tecnologia de realidade aumentada, conforme o vídeo a seguir (link aqui):

O único ponto negativo: o aplicativo é restrito aos Estados Unidos.

Mas, será que vai rolar versão brazuca em junho?

Via ProXXIma.

Bonitezas da Web: Cartões “True Love” (It Does Exist)

Já estamos quase em fevereiro e em alguns países do exterior comemora-se, no próximo dia 14/02, o Dia dos Namorados (Valentine’s Day). Se até o Snoopy’s Street Fair (app lindo e fofo para iPhone) já está no clima, imagina só se as lojas on line e sites cheios de freebies não iam estar?

Eu vi essas lindezas acima em uma lojinha da Etsy. Trata-se de um jogo com 4 cartões feitos em papel 100% reciclado. Cada cartão traz um casal de monstros diferentes, que se amam apesar de tudo. Achei cute!

Se você quiser comprar e guardar pro nosso dia dos namorados, em junho, é só clicar aqui.

As minhas 30 primaveras

Há uma semana, eu acordava de uma grande noite. Cansaço, muita sede, resquícios de um sábado que não foi como outro sábado qualquer. Era o sábado do meu aniversário de 30 anos.

Eu não queria um encontro no barzinho ou uma festinha na buatchy. Queria algo com os meus amigos, para os meus amigos, com a minha cara, com o meu toque. Um encontro pra comemorar 30 anos do jeito que eu sempre sonhei. Muita coisa acabou não rolando, afinal tínhamos o Ano Novo no meio do caminho e o tempo era super curto, mas foi suficiente pra conseguirmos fazer muita coisa, com muito carinho. A lista de agradecimentos é grande, muita gente ajudou a fazer do dia 07/01/12 um dia inesquecível na minha vida.

PC lovers

Nunca tive uma festa surpresa. Nunca tive uma senhora festa de aniversário. Mas sempre tive um bolinho com gostosuras, isso minha mãe nunca deixou faltar, em 30 anos. Fazer aniversário logo após o Ano Novo tem seus problemas: nunca tem festinha na escola, muitos dos seus amiguinhos não vão porque estão viajando ou porque você perde contato. Ou então você está viajando (ahhh que saudade das férias escolares, duas vezes ao ano). Ou morando fora. Daria até pra fazer uma retrospectiva de festas de aniversário mas o post ficaria muito grande.

Festinha com fumaça e luzes coloridas! Até que enfim, sonho realizado!

A gente tinha pouco mais de uma semana pra comprar os enfeites, preparar os docinhos, encomendar o bolo, convidar a galera. Além de rezar pra São Pedro segurar a chuva, que estava programada pro sábado à noite. Eu e os amigos “ajudantes” já estávamos nos preparando pra organizar espaços cobertos na casa, com lonas e tendas. Mas, graças às preces, não foi preciso nada disso.

Tinha até “lounge”: com água mineral e amendoim!

Acordamos bem cedinho no sábado pra ajustar todos os detalhes finais: flores, pães, montar os sandubinhas, receber a cerveja inicial, decorar a casa. Por volta das 8 da manhã, eu e Pedro corremos na Cadeg em busca de margaridas, que tornariam a festa ainda mais bonita e alegre. Que lugar apaixonante! Mas isso rende assunto pra outro post.

Depois foi a vez de buscar os pães para montar cada sandubinha da festa. Além da feira, que ficou por conta do Lucas e da Lisa, que sonhou com milhos cozidos na mesa de comidas. Que ideia boa e prática, segura a fome legal dos beberrões! Sem falar das pipocas em saquinho, suspiros, cachorro-quente com batatinha-palha e condimentos…

Cada comidinha tinha uma plaquinha, indicando o que era. Ideia simples e prática, assim ninguém fica confuso em relação a um sabor de sanduíche ou doce. Vivi me ajudou com cada uma delas.

A mesa de doces também fez muito sucesso. Não é por nada não mas a gente mandou muito bem na decoração. E nos sabores dos docinhos: brigadeiro de alpino, chocolate e beijinho. E ainda tinha tortinha de limão no copinho e bicho de pé (aquele “brigadeiro de morango”, saca?).

E ainda teve lembrancinha, bolinha de sabão e muita, muuuuita cerveja gelada, graças ao meu irmão Daniel, que tomou conta de tudo que chegava e providenciou o gelo em boas quantidades, garantindo que as bebidas gelassem com o calor insuportável desse Rio de Janeiro.

Acabou que a gente não cantou parabéns na festa e o bolo ficou INTACTO pro dia seguinte, pra alegria de quem sobrou na casa.  Algumas horas depois, o bolo fez a alegria da garotada e fechou lindamente o final de semana, com direito a vela de 30 anos e muita alegria.

Ganhei presentes muito legais, revi amigos de antigos empregos, amigos de hoje, amigos de sempre. Sem contar que havia uma área na festa onde as pessoas deixaram recadinhos muito fofos, que eu deixei pra ler no dia seguinte. Obrigada, pessoal! Obrigada! Contei com a ajuda de muita gente querida, que fez de tudo pra garantir que a festa fosse super divertida e desse certo. E deu mais do que certo.

AGRADECIMENTOS!

Ingrid, pelos docinhos de Alpino e biscoitinhos, que seguraram a fome do povo.
Dan, pelo gelo, pela cerveja, pelo apoio moral.
Pedro, pelo equipamento de som, fumaça, tudo mais. Só você sabe como isso era importante pra mim… <3
Lisa, pela casa, pela decoração, pelas ideias criativas, pela paciência em acomodar as margaridas nos potinhos!
Lucas, pela organização da casa e pelas fotos, obrigada!
Vivi, pelas plaquinhas e suporte na cozinha!
Léo “Arquivo”, pelos sandubinhas, cachorro-quente e pelo set incrível de funk antigo!
Léo Pontual, pelo milho cozido e cortadinho e pelos docinhos que você ajudou a embalar (e comer também).
Rodrigo e Flavio, pelos sets que colocaram todo mundo pra dançar.
Mãe, pelo apoio moral, pela ida ao Centro carregando sacos e mais sacos de bandejas, bolas, forminhas, pelos docinhos… por tudo!

***

Pra quem ficou interessado em fazer alguma das comidinhas da festa, em breve vou postar as receitas no Gordelícias. Não tem nada muito complicado, foi tudo bem simples e gostoso. Garanto que fará muito sucesso na sua próxima festinha e reunião com amigos

Bonitezas da Web: What Makes Love True

Adoro quando as marcas investem no “fora da caixa”*  e “se vendem” com conceitos simples e encantadores.

*vamos combinar uma coisa, eu odeio essa expressão mas é a que melhor se encaixa pra falar dessa ação…

Dessa vez, foi a Tiffany’s & Co. A famosa joalheria colocou no ar uma campanha que fala de amor. Do verdadeiro amor. E tendo como cenário para todas as iniciativas… Nova Iorque. Acho que nesse caso, Nova Iorque briga “pau a pau” com Paris pela coroa de “cidade que inspira o amor”. Discussões à parte, vale a pena explorar o hotsite da campanha, que é lindo de morrer.

.:Destaques:.

True Love in Pictures

A Tiffany’s & Co convidou o famoso blogueiro e fotógrafo The Sartorialist e sua amada para clicar casais apaixonados e qualquer indício de amor pela cidade, utilizando o aplicativo Instagram. O resultado é uma galeria cheia de fotos bonitas e inspiradoras.

Tiffany’s New York

Uma espécie de guia para os casais enamorados explorarem na cidade. Restaurantes, parques, recantos perfeitos para apimentar ainda mais a relação.

True Love Stories

Uma coleção de histórias enviadas por gente como a gente. Muito bonitinho! <3

pra começar a semana bem: pedido de casamento nerd

Ai, essa Internet, sempre unindo as pessoas. E nos enchendo de inspiração também, né? :)

Nunca pensei que houvesse “gancho” nesses memes idiotas que rolam por aí. Então que um rapaz transformou várias piadas em um pedido de casamento super bonito. Olha só que bonitinho:

Ai, gente! Emocionei! Dá tanta vontade de abraçar esse casal, de tão fofinho!

Via Garotas Nerds.

Uma mensagem para 2012

Eu provavelmente voltarei nesse blog antes do ano acabar.

Mas, como essa é uma época em que muita gente já começa a zarpar, por conta dos feriados, quero aproveitar 5 minutinhos da sua atenção – nobre leitor – pra deixar uma mensagem carinhosa. O mais engraçado é que eu li essa mensagem hoje de manhã, enviada pelo Personare. Sinceramente, nem tenho acompanhado essas coisas de signo/horóscopo mais, no entanto continuo recebendo a newsletter deles porque volta e meia vem uma mensagem motivadora, dessas que fazem você viver o dia de uma maneira mais bacana.

O mais interessante dessa mensagem é que ela te faz um convite, quase irrecusável. Dá uma olhadinha:

“Não vou desejar que nesse ano encontre paz e felicidade permanentes. Não vou desejar que supere todas as suas metas e vença todos os desafios, encontre alegria no amor, fique rico e seja sempre a pessoa mais linda e simpática do planeta (mas vou desejar saúde. Porque com saúde não se brinca). Não vou desejar que 2012 seja o melhor ano de todos os anos de sua vida.

365 dias é muito pouco para todas as conquistas, todos os desafios e tudo o mais que deseja fazer, ser e ter.

Esse ano, quero desejar outra coisa.

Desejo que se lembre de todas as conquistas que teve. Que olhe para trás e veja tudo o que foi aprendido, se lembre de todas as pessoas que apoiaram e quem você foi em todas essas situações.

Que determine a vida que quer levar. De repente não é a que está levando agora, a que seus pais querem que leve. Ou seu amor. Ou seus amigos. Ou sua comunidade. Pare e pense na vida que você quer ter.

Escolha as pessoas que lhe acompanharão. Aquelas que agregam, que lhe dão apoio em todos os momentos. Escolha as que quer ao seu lado e querem estar ao seu lado.

Descubra o que lhe dá prazer e trabalhe para que seja constante em seu dia-a-dia.
Faça o que você ama e ame o que faz.

Reconheça as características pessoais que não gosta e aprenda a mudá-las (ou aceitá-las). Você pode ser uma pessoa melhor todos os dias. Por que quem você quer ser já está dentro de você. Então, procure. Insista e não desista. Sim, um ano inteiro é muito pouco para tantos desejos.

Então, vamos lá. Procure dentro de você a força que precisa. Suspire fundo. Comece. Agora.

Sua vida está esperando.

Feliz vida pra você!

Beijo grande!

Imagem: We Heart It.

no ipod: cocoon – dee doo

Sentiram falta de musiquinhas aqui no blog?

Na verdade, eu dei uma pausa porque esse blog estava se tornando um “blog musical”. Não que isso fosse problema mas é sempre bom dar uma variada no conteúdo, certo? Pois bem, não me aguentei muito tempo… lá vai mais uma dica.

Conheci Cocoon por indicação da irmã de uma amiga, que aliás tem um gosto musical bem parecido com o meu. O grupo, ou melhor, a dupla, é francesa mas canta em inglês. O som é folk, com um leve toque de melancolia na voz doce da vocalista Morgane Imbeaud (que é também tecladista). Os backing vocals ficam por conta da sua dupla Mark Daumail.

Com dois álbuns na praça e dois EPs, Cocoon é uma dessas bandas gostosinhas pra se ouvir num fim de tarde ou durante uma viagem. Eu sou apaixonada por algumas músicas e uma delas é essa daqui:

‘Dee Doo’ faz parte do segundo álbum da banda, “Where The Oceans End” (que tem ainda as minhas prediletas ‘Oh My God’ e ‘Comets’.

Bonitezas da web: Campanha Serenata de Amor

O vídeo não é novo, mas passou batido “por aqui” nessa correria.

A Garoto, em campanha para o bombom Serenata de Amor, preparou um desses vídeos que arrancam um sorrisinho da gente, meio que sem querer. A mensagem é de otimismo pra quem “perdeu” aquele grande amor e parece não ver muito sentido nas coisas. Aquela fase em que a gente fica perdido, pensando que simplesmente não vai sobreviver sem o ser amado ao lado.

Achei uma graça, e breguinha também, como o amor deve ser.

E ainda toca Snow Patrol no fundo!

Via Ideias de Fim de Semana.

“Achtung Baby” revisitado

A famosa revista britânica Q Magazine preparou uma homenagem e tanta ao “Achtung Baby”, emblemático disco do U2, que completa 20 anos em 2011. Convocou uma galera de peso para fazer versões das músicas e liberou o trabalho num CD gratuito, que acompanha a edição do mês da revista.

O álbum se chama “AHK-toong BAY-Bi Covered”, uma brincadeira com o nome do álbum. E tem de tudo, como vocês verão na lista abaixo:

1. Zoo Station por Nine Inch Nails
2. Even Better Than The Real Thing por U2 (Jacques Lu Cont Mix)
3. One por Damien Rice
4. Until The End Of The World por Patti Smith
5. Who’s Gonna Ride Your Wild Horses por Garbage
6. So Cruel por Depeche Mode
7. Mysterious Ways por Snow Patrol
8. Trying To Throw Your Arms Around The World por The Fray
9. The Fly por Gavin Friday
10. Ultraviolet (Light My Way) por The Killers
11. Acrobat por Glasvegas
12. Love Is Blindness por Jack White

Acho que não tenha um cover sequer que eu tenha torcido o bico quando ouvi. E isso é muito bom porque é complicada essa coisa de fazerem versões das músicas do teu álbum preferido da banda. Mas vou tentar esmiuçar o meu diagnóstico desse lindo e singelo CD.

Vai ser fora de ordem, tá? Tasquei um “shuffle” no iTunes e mandei ver a “resenha”. Se liga:

Gente, GARBAGE entrou na parada! G-a-r-b-a-g-e! Eu não escuto nada dessa banda desde, sei lá, meus tempos de Bunker. E vou te falar, mesmo depois do sumiço, voltaram com um cover muito interessante para “Who’s Gonna Ride Your Wild Horses”.

“Love Is Blindness”, cantada pelo Jack White: visceral na medida certa, com a profundidade da letra da música. Essas coisas me arrepiam!

Damien Rice deixou “One” um pouco mais melancólica que a versão original e, ao meu ver, funcionou. Nine Inch Nails fez uma versão ok para  “Zoo Station”, assim como Patti Smith (parecia que tava sem saco) e The Fray. E o remix do Jacques Lu Cont funciona também.

Enfim, nem tudo são flores no reino da magia. Algumas coisas vão te decepcionar, nobre amigo, fã de U2. Como Snow Patrol acabando com a raça de “Mysterious Ways”. Eu adoro a banda mas eles fizeram de uma das músicas mais cheias de swing da banda, uma baladinha típica de seriado mela-cueca da Sony. Não funcionou, sorry.

No entato, justiça seja feita. Não posso deixar de aplaudir: The Killers e Depeche Mode. Fizeram o dever de casa direitinho. Quando você escuta os primeiros acordes de “Ultraviolet (Light My Way)” pensa “que PO**A é essa?” mas logo morde a língua e escuta um Brandon Flowers maravilhoso, soltando a voz. Essa foi escolhida a minha versão favorita!

Já o Depeche Mode faz um arranjo muito bom para “So Cruel”. Vocal perfeito, arrsatado, denso, como a música pede. Arrisco dizer que ficou melhor do que o Bono cantando (e a turma que odeia o Bono vai amar essa constatação).

Deixei pro final da listinha dois nomes que eu não conhecia: Gavin Friday e Glasvegas. Curti as versões deles para duas faixas que gosto muito, “The Fly” e “Acrobat”, respectivamente. Palmas para a versão do Glasvegas, que também segue a linha da versão do Jack White e The Killers: com emoção e peso nas músicas. Porque “Achtung Baby” é um álbum de momentos: reencontro, reinvenção, despedida do que é ruim e foco no que precisa melhorar.

no ipod: esperanza spalding – little fly

Justiça seja feita. Depois da passagem encantadora pelo Brasil – no Rock in Rio – hoje é dia de Esperanza Spalding aqui no blog. Ela é a coisa linda do dia e “Little Fly” é mais do que adequada pra começar esse final de semana, que ainda tem resquícios do último domingo (com o Metallica), uma leve rinite querendo me derrubar e um encontro com System of a Down amanhã.

E você, nessa vibe “metaleira”, sugerindo e ouvindo Esperanza Spalding, dona Raquel?

Tô tão feliz, com vontade de sair por aí fotografando, que não podia ter trilha sonora mais bonita e adequada! Fora que a Esperanza é uma das coisas mais bonitas que já surgiu na música nos últimos tempos.

Bom dia, pessoal!

pro meu pai

Eu sempre acho difícil falar de pai e mãe.

Como resumir em palavras o sentimento que temos pelas primeiras pessoas que cuidam da gente? São eles que te pegam no colo pela primeira vez e juram amor eterno, até você chegar bêbado em casa ou tirar uma nota abaixo de 6 na escola, claro. Você, um bebê indefeso, um ser humano que ainda não fala, não anda, não consegue expressar nada além de fome e dor de barriga? Ah, os pais… deve ser uma coisa legal ser pai/mãe.

Mas vamos lá falar do meu pai.

O Sr. Arellano sempre foi uma pessoa curiosa em meio a tanta gente normal. Enquanto todo mundo tinha um pai brasileiro, eu tinha um pai peruano, que misturava as palavras e falava coisas sem sentido. O “bigodón” e as músicas com flautinha (hoje tão banalizadas por “músicos” nas praças das grandes cidades), as llamas e todo pedacinho de cultura ameríndia que ele inseriu na nossa criação. Eu e meu irmão crescemos sabendo quem foram os incas e quem eram os nossos parentes do outro país. E crescemos com um pai que dava bronca só com o olhar e que botava a gente na linha com um jeito durão, sempre amansado pela minha mãe, que é uma coisa linda e doce.

Meu pai é uma grande referência pra mim, em todos os sentidos. Foi dele a minha primeira camisa do Vasco e até hoje, TODOS OS ANOS, eu ganho uma camisa nova (façam as contas de quantas camisas eu tenho, desde os 9 anos – tô com 29). É nele que eu me inspiro pra vencer a preguiça e correr um pouquinho (o velho corre 10k, com 63 anos) e veio dessa parte da genética o meu gosto por pimentas e cerveja (porque minha mãe não bebe uma gota de álcool). Foi ele que me deu meu primeiro videogame, minha primeira “fita” de Mortal Kombat e me ensinou a andar de bicicleta.

Levou muito tempo pra que a gente aprendesse a lidar um com o outro, afinal é sempre difícil conviver com alguém tão parecido com você. Mas acho que a gente tá se acertando com o tempo e as coisas tem sido cada vez melhores. Quem diria que eu passaria um sábado bebendo cerveja com meu velho, né?

Feliz dia dos pais!

e o coração bate mais forte

Eu queria poder explicar pra quem não age igual a mim a felicidade em saber que a sua banda preferida vem tocar na sua cidade. Tem gente que acha besta, que pensa que você é maluco ou que simplesmente não liga pra música. Eu costumo classificar essas pessoas no mesmo grupo de pessoas que não gostam de animais. Afinal, como alguém não consegue gostar de um cachorro, meu Deus? Talvez quem tenha medo e tals, compreensível.

Ou então, quem não gosta de batata-frita? Alguém? Alguém? Alguém não gosta? Não há. Por isso, não entendo quem  não consiga gostar de música, seja qual for o gênero preferido.

Hoje fui acometida por uma dessas felicidades bobas, num dia cheio de altos e baixos. A “possível vinda” do Broken Social Scene para o Rio de Janeiro (entre aspas porque não há a mínima chance de não rolar esse festival). A banda estará no Brasil para o Festival Planeta Terra, mega esgotado há alguns meses. Eu já sofria (de verdade) com a possibilidade de não assisti-los, assim, tão “perto” de casa.

Daí que o Lucio Ribeiro cantou a pedra. E um certo email na caixa de entrada falou disso aqui:

Se você não conhece o projeto Queremos, faça o favor de visitar o site dos caras e saber do que se trata. Uma iniciativa tão bacana que está há alguns meses promovendo os eventos mais legais do Rio de Janeiro. E nessa enxurrada de atrações vindo ao Brasil (haja cartão de crédito), é sempre uma satisfação quando uma dessas bandas faz você sorrir com a alma.

“park that car, drop that phone, sleep on the floor, dream about me.”

Encontro marcado em novembro. Pra gente ser um pouquinho mais feliz.

1 2 3 4 7