Archive

música

Posts on música.

No iPod: The Internet – Dontcha

The Internet | Maionese

Adoro uma troca marota de novidades musicais. Pedro, meu noivo-marido, adora sugerir “pedradas” e uma das mais recentes foi a deliciosa “Dontcha”, do duo The Internet. Aliás, quem vê cara não vê coração. Quando o clipe começou, e vi a menina low profile de camisetinha branca, meio marrentinha, não imaginava uma voz tão doce e cheia de melodia. Aliás, depois de um pouco de pesquisa, descobri que ela não era uma Zé Ninguém mas sim uma DJ/produtora e agitadora da cena hip hop nos Estados Unidos há anos. Ela se chama Syd Tha Kid.

Nem sei quantas vezes já dei repeat nessa música. É boa demais, vai por mim e clica logo no player abaixo!

E tem também a versão ao vivo, pra você gamar ainda mais nesses caras. Clica aqui pra assistir. E como quando eu gosto de uma coisa, vou até o final, lógico que já fucei tudo que podia, né? Inclusive, encontrei essa apresentação MARAVILHOSA na rádio KEXP, de Seattle (USA). Puta achado, viu?

Publicado por

No iPod: Lana Del Rey – Shades Of Cool

Lana Del Rey | Maionese

Toda vez que escuto um trabalho novo da Lana Del Rey, me lembro do exato dia em que a ouvi pela primeira vez. Todos os comentários envolvendo a menina com ar vintage. Muita gente não botava fé mas a moça deu a volta por cima e mostrou que sim, ela é talentosa – além de gata pra cacete.

Daí que Laninha tá com disco novo. E lançou recentemente um clipe da deliciosa canção ‘Shades Of Cool’. Nele, temos novamente aquela aura anos 60, vibe flashback, um amor meio bad guy (porém mais velho). Cigarros, fumaça, sensualidade… e uma fotografia linda. Dá play logo, galera:

Mesmo sendo repetitiva, adoro os clipes de Lana Del Rey!

Publicado por

Uma saudade: The O.C.

The O.C. | Maionese

Californiaaaaaa… here we coooooooooomeeeeeee

Antigamente, eu não era o tipo de pessoa que passava horas do dia acompanhando meia dúzia de seriados. Porém, recentemente fui mordida por esse bichinho, que faz com que você deixe de ler livros, sair, ter uma vida pois simplesmente não consegue parar de assistir a determinada série sem o risco de morrer de curiosidade e ansiedade. Se bem que você pode acabar se transformando numa dessas pessoas que dá conta de livro + série + vida social… Eu te invejo, meu amigo.

Há alguns anos, um desses enlatados pra adolescente me chamou atenção, e foi justamente pela trilha sonora fuderosa: The O.C.. Podem sacanear, me chamar de juvenil, mas lembro como se fosse HOJE: faltar aula da faculdade pra acompanhar o namorico de Marissa Cooper e Ryan, uma espécie de Cinderela dos tempos modernos. O rapaz, nesse caso, é o pobretão que de um dia pro outro tem a vida transformada: de família barra pesada, white trash americano, passa a ter tudo do bom e do melhor; a guria é riquinha e famosa no pedaço, mas por um percalço do destino, fica pobre depois.

The O.C. | Maionese

Temporada vai, temporada vem, o romance fica ali naquele “não caga mas não sai da moita”. Até o dia em que eles ficam juntos. E até o dia em que… bom, deixa pra lá. Eu chegava a suspirar pateticamente quando os dois se encontravam e tocava Forever Young, cantada pelo Youth Group.

The O.C. | Maionese

Mas então, The O.C. me fez ter vontade de ir pra Califórnia, sentir o ventinho que aquele povo sentia, tomando café com gelo da Starbucks. Em 2007, pude finalmente realizar meu sonho e viver aquela sensação mágica do entardecer com milkshake e ventinho nos cabelos. Mas The O.C. também revelou um lado obscuro na minha vida, o da ilegalidade: me fez baixar toneladas de músicas!

Um seriado famoso pela trilha sonora perfeita. Graças ao melodrama californiano, conheci tanta coisa linda… Seguem algumas dessas canções:

1. Interpol – Evil

Foi assim que conheci Interpol. Obrigada, produtores do seriado, pela graça alcançada.

2. Nada Surf – If You Leave

Já conhecia Nada Surf de outros carnavais. Fui no show deles aqui no Rio e o escambáu. Nem preciso dizer que quando ouvi o comecinho dessa música num episódio, pire, né?

3. Sufjan Stevens – For the widows in paradise, and the fatherless in ypsilanti

Sufjan Stevens é LINDO! Qualquer álbum dele é do tipo que você ouve sem pular uma música, naquele esquema de colocar pra tocar, deitar e esquecer que #vaitercopasim.

4. Pinback – Fortress

Quando o Pedro me apresentou Pinback, bem depois da minha febre por The O.C., tive a certeza de já ter ouvido o som dos caras. Fazendo uma pesquisa, vi que eles volta e meia apareciam na trilha da série. Outro som que também é a cara da Califórnia – aquela vibe praia + fim de tarde + ventinho bom.

5. Modest Mouse – The View

Se você já foi pra Califórnia, sabe que Modest Mouse é a cara desse lugar. É impressionante como certos sons representam tanto uma cidade, um bairro… Bateu até uma nostalgia.

6. Stars – Your Ex-Lover is Dead

Essa música me arrepia de tão bonita que é. PS: Stars é uma banda que tem como vocalista Amy Millan, uma das integrantes do Broken Social Scene.

7. Death Cab For Cutie – A Movie Script Ending

O personagem indie do seriado, o bonitinho do Seth, era fã do Death Cab For Cutie, o que rendeu até participação da banda num episódio. Death Cab é fofo, certas vezes melancólico. Essa é uma das minhas preferidas.

8. Spoon – I Turn My Camera On

Spoon tocava a cada dois episódios por temporada. Brincadeiras à parte, diz se não dá vontade de sensualizar com essa música?

9. The Perishers – Nothing Like You And I

Lindezinha de canção. Uma pena eu não ter ouvido mais nada desse grupo.

10. Bloc Party – The Pioneers

Lembro dessa música tocar num momento tenso, onde provavelmente o Ryan fugia do namorado maluco da Marissa, um viciado lá bonitão que ela andou se atracando.

The O.C. | Maionese

Desde então, nunca houve um seriado tão delícia quanto The O.C., com todos os dramas adolescentes, o visual perfeito, combinado com uma trila sonora sensacional.

Publicado por

Blogagem Coletiva: Discos da Minha Vida #rotaroots

Álbuns da Vida | Maionese

Daqui.

Sabe aquela frase clichê “música é minha vida”? Uma vez ouvi uma menina falar isso num desses programas de calouros e me contorci por dentro mas aí, ao iniciar esse post… pensei justamente isso. Tem gente que é assim com livros, filmes, eu sou assim com música. Cada época da minha vida tem uma trilha sonora. Algumas são tão boas que dá vontade de botar pra tocar de vez em quando, outras eu prefiro enterrar com uma pedra em cima.

A galera do Rotaroots jogou na roda da blogagem coletiva o seguinte desafio: falar dos discos que marcaram a nossa vida. Tentei limitar a cinco mas é impossível, depois joguei pra dez. Vou tentar colocar por ordem cronológica e não de importância, afinal não dá pra medir qual foi/é mais importante por aqui. Vem ver!

Aliás, antes de falar dos discos que marcaram a vida vida, preciso fazer uma homenagem àquele que me ensinou a gostar de tudo e todos, sem preconceitos: meu pai. Dono do gosto musical mais eclético desse universo, foi ele um dos responsáveis pela trilha sonora constante no meu lar. Cresci ouvindo canções peruanas, rock, um pouco de MPB, pop… Era ele que comprava os discos, gravava fitas dos programas favoritos e tava sempre ligado nas novidades. Aprendi muito com ele, obrigada, paizinho!

1. A-Ha – Stay On These Roads

A-Ha - Stay On These Roads | Maionese

Quando pequena, tinha a mania de fuçar os discos dos meus pais. Achava super divertido mexer na vitrola, aquela coisa de levantar/abaixar a agulha minuciosamente pra não fazer caca… Fico pensando se meu pai tinha noção que uma criança mexia na vitrola dele, nos discos, se é comigo hoje um dia juro que ia suar frio e tudo. Pablito porém desconheceu o fato e eu tive sorte.

Bom, voltando ao disco, me chamou atenção na época a capa, com esses homens lindos. Eu era tipo apaixonada pelo Morten Harket! Sério, é muito fogo no rabo pra uma criança achar alguém lindo mas diz se não era lindo, gente? Morria com todas as músicas, principalmente as lentas. Até hoje dou uns suspiros quando escuto esse álbum… <3

2. Paul McCartney – All The Best

Paul McCartney - All The Best | Maionese

Bem curioso como descobri que as músicas que meu pai sempre ouvia de um Paul McCartney eram do mesmo Paul da consagrada banda “Beatles”. Antes de bancar o smartão ao ler esse post, pense que estamos falando de uma criança sem 3G, sem Google, descobrindo a vida da forma mais deliciosa ever (porque hoje em dia até pra fazer conta nego faz no Google). Bom, papai sempre ouvia Paul, sempre ouvia umas fitas e discos dele. Eu achava essa capa linda, essa cara dele meio “nhé”, com umas colagens… Sabia até a ordem das canções de tanto que ele ouvia. Disco lindão!

3. Ace of Base – Happy Nation

Ace of Base - Happy Nation | Maionese

Se não me engano, foi o 2º CD que comprei na vida. Com meu dinheiro suado, mentira, com dinheiro de mesada que meus pais me davam. Lembro direitinho eu indo na seção de álbuns do Bon Marché (hoje Extra) e olhando “Hmmmmm Ace of Base”. Tinha assistido ao clipe na Cultura Inglesa, a música tocava toda hora no rádio… nossa, nunca ouvi tanto um disco. Sei cantar tudo até hoje.

4. The Smashing Pumpkins – Mellon Collie and the Infinite Sadness

The Smashing Pumpkins - Mellon Collie and the Infinite Sadness | Maionese

Se eu tivesse que escolher apenas um CD dessa lista como “CD da vida”, seria esse. Como essas músicas abraçaram toda a minha angústia adolescente. Aquele momento em que o cérebro não combina com o coração, que não combina com o corpo, que não combina com o tempo e o espaço. Aliás, meu sonho era encontrar Billy Corgan na rua e falar “muito obrigada por tudo”. Pela melancolia traduzida em canção.

Esse CD também comprei com minha mesada, era tão apaixonada por ele que até passei contact no encarte, que por ser um CD duplo ficava super apertado na caixinha, meio que rasgando. Tenho até hoje na casa da minha mãe! <3

5.U2 – Achtung Baby

U2 - Achtung Baby | Maionese

Outra banda que abraço com todas as forças é o U2. Sei que tem muita gente que odeia, sei que tem muita gente que resume U2 aos últimos discos – que não são lá grandes coisas. Mas U2 é U2, gente. Merece todo o respeito do mundo pela trajetória musical, pelas novidades e, principalmente, por ter mostrado a muitas bandas como é que se faz uma grande turnê mundial, com direito a todos os efeitos de palco e etc.

Achtung Baby parou na minha mão quando ouvi “One”. A maior balada do grupo irlandês, foi ela que trouxe esse CD maravilhoso pra minha vida. Depois de “One”, elegi como favorita “Ultra Violet (Light My Way)”, que tem até um cover maravilhoso feito pelo The Killers nesse CD em homenagem ao disco.

Só um detalhe: Achtung Baby foi lançado em 1991 e foi o sétimo álbum da banda. Ou SEJE: nós estamos velhos. Eles também.

6.New Order – The Best Of New Order

New Order - The Best Of New Order | Maionese

New Order fez parte da minha adolescência, antes mesmo de saber quem era Joy Division. Lembro que só fui saber que o New Order era o que sobrou do antigo grupo liderado por Ian Curtis bem depois da maioria. Conheci a banda por conta de “Regret”. Assisti ao clipe na Cultura Inglesa e pirei na guitarrinha. Virou tipo uma música que eu ouvia quando tava na fossa por algum amor não correspondido.

Daí alguns anos depois, “Blue Monday” ia virar símbolo das minhas sextas-feiras na Bunker. Esse álbum me acompanhou bastante na vida.

7.Só Pra Contrariar – O Samba Não Tem Fronteiras

Só Pra Contrariar - O Samba Não Tem Fronteiras | Maionese

E vocês achando que eu não ia incluir pagode na lista. Esse álbum do SPC resume a minha fase pagodeira, que durou boa parte da adolescência. Aliás, como o ser humano é bizarro. Numa hora tá ouvindo Metallica, daí vira a “chavinha” e deseja “vou falar que é amoooor, vou jurar que é paixãoooo…”. Eu pelo menos sou assim.

Esse CD em especial resume minhas aulas na parte da tarde na escola, sem muita preocupação com as coisas. Era uma fase gostosa e divertida. Alexandre Pires, você reinou nos corações da garotada.

8.The Killers – Sam’s Town

The Killers - Sam's Town | Maionese

Durante minha fase morando nos States, The Killers foi trilha sonora de vários momentos. As festinhas no alojamento, os passeios falidos no Walmart, na hora de sentir saudade de casa… Gostava tanto de The Killers que cheguei a cogitar ficar ilegal por 2 dias pra poder ir ao show deles que ia rolar próximo à cidade onde morava. Ainda bem que eles acabaram cancelando a apresentação. Ainda bem que quando voltei pro Brasil consegui vê-los no Rio!

“Bling (Confessions of a King)” me leva às lágrimas até hoje.

9.Arcade Fire – Funeral

Arcade Fire - Funeral | Maionese

Outra banda que me acompanhou no começo da jornada nos States. “Neighborhood #1 (Tunnels)” é a tradução daquele inverno tenso do Colorado, a paisagem em tons pálidos, típica das montanhas rochosas e cheias de neve, o Sol se pondo super cedo e aquela sensação deprê que bate sem que a gente queira. E a saudade…

Bom quando a gente encontra conforto pra determinadas situações na música. Arcade Fire era a melancolia e a euforia com o novo se misturando dentro de mim. E assim “dancei” por 6 meses, ao som dessas vozes e instrumentos.

10.Broken Social Scene – You Forgot It In People

Broken Social Scene - You Forgot It In People | Maionese

Esse disco é uma das coisas mais lindas que já ouvi em 32 anos. O tempo passa e ele continua mágico, ainda mais depois que ouvi boa parte das músicas ao vivo, no Circo Voador (que por si só já é um lugar que faz milagres na nossa cabeça). Broken Social Scene é um dos grandes nomes da música canadense e nos presenteou com grandes artistas – Feist é uma dessas beldades.

Meu sonho? Encontrar um vinil do álbum.

Este post faz parte do rotaroots, grupo de blogueiros de raiz que organiza blogagens coletivas e tenta manter a blogsfera viva. Se você se identifica com o projeto, vem com a gente clicando aqui.

Publicado por

Lollapalooza Brasil: confira os horários dos shows

Lollapalooza Brasil | Maionese

Tá chegando, galera. Mais uma edição do Lollapalooza Brasil está prestes a começar. Mais precisamente, no próximo fim de semana, o famoso autódromo de Interlagos sediará dois dias de muita música para todos os gostos.

Muita gente não se animou tanto pra edição desse ano – nota-se pela quantidade de ingressos ainda disponíveis para a edição 2014 – mesmo trazendo Muse como um dos headliners do festival. Lembro que comprei os ingressos meio que no desespero pois Arcade Fire e New Order eram dois nomes confirmados. Infelizmente ambas as bandas, que eu queria tanto ver, tocarão no mesmo dia e horário, para a tristeza dos fãs.

Bom, dizem que Interlagos fica no fim do mundo então é preciso se organizar bem em relação a transportes. De acordo com a página do Lolla no Facebook, haverá um esquema organizado especialmente para o evento. Ônibus, trens e táxis são os principais meios para chegar na região.

Sobre a programação, é aquele drama de sempre: como dar conta de tantas atrações em apenas dois dias? A gente acaba sacrificando um show ou outro. Ainda não gravei o horário de tudo portanto volta e meia recorro às imagens abaixo para me organizar mentalmente – sei que na hora será aquele samba do criolo doido. Vem ver:

Lollapalooza Brasil | Maionese

Lollapalooza Brasil | Maionese

Lollapalooza Brasil | Maionese

Lollapalooza Brasil | Maionese

Aliás, o trabalho que vem sendo feito no Facebook tá de parabéns. Informações divulgadas a todo momento, aquecimento com clipes e curiosidades dos artistas… É impossível não se empolgar! Mais uma vez volto a SP para me divertir um bocado! Te vejo lá? ;)

Publicado por

Como foi o show do Metallica em SP – 22/03

Metallica 2014 | Maionese

No fim de semana passado, estive em SP – uma cidade que gosto muito de visitar pois é sinônimo de diversão. Quando comprei as passagens, aliás, o motivo era assistir ao show do Metallica, que rolaria somente em SP, como parte da turnê Metallica By Request (que consiste em um show onde as músicas tocadas são escolhidas pelos fãs >> aqui você vê como foi a votação no Brasil).

Porém, para minha tristeza, os ingressos estavam esgotados no ato da compra.
Fuen pra mim.

Porém, quem tem fada madrinha tem tudo, não é mesmo? Fui surpreendida no sábado, minutos antes do show, com uma chance de conferir meu 4º show do Metallica em 4 anos (nunca vou esquecer desse dia aqui). Nunca tomei um banho tão rápido. Táxi, me leve ao Morumbi!

Bom, eu poderia fazer (mais) uma resenha… mas deixo vocês com as seguintes leituras:
- Whiplash.net
- Tenho Mais Discos Que Amigos
- MetalConcerts.net

Por outro lado, compartilho nesse post imagens que falam mais do que qualquer coisa:

Metallica 2014 | Maionese

Metallica 2014 | Maionese

Metallica 2014 | Maionese

Metallica 2014 | Maionese

Metallica 2014 | Maionese

Metallica 2014 | Maionese

Choveu, fez frio, morri de fome… mas foi maravilhoso! Por uma vida mais cheia de sábados com show do Metallica, sim?!

Setlist
Battery
Master of Puppets
Welcome Home (Sanitarium)
Fuel
The Unforgiven
Lords of Summer
Wherever I May Roam
Sad but True
Fade to Black
…And Justice for All
One
For Whom the Bell Tolls
Creeping Death
Nothing Else Matters
Enter Sandman

Whiskey In The Jar
The Day That Never Comes
Seek & Destroy

Crédito das imagems: Facebook Metallica.

Publicado por