Browsing Category

variedades

Star Wars: O Despertar da Força
variedades

Star Wars: O Despertar da Força

Não sei se existe alguém na face da Terra que ainda não assistiu ao trailer do novo Star Wars. Pois bem, tá aqui o vídeo, só clicar no play:

Depois de assistir a esse trailer, tenho certeza que você está fazendo milhares de perguntas. Quem é essa guria? Cadê Luke? Teremos uma nova Estrela da Morte? Os Jedis realmente morreram? O que a Aliança Rebelde tá fazendo nesse filme? Bom, faltam menos de 2 meses pra estreia de um dos filmes mais aguardados dos últimos tempos, e para que a gente tenha a resposta para todas essas perguntas. Pode ser que você cague e ande pra Star Wars e esteja achando todo esse frisson um saco. Mas vamos lá: é uma das franquias mais lucrativas das últimas décadas. Sem falar que se tornou símbolo da cultura pop, certo?

Star Wars: O Despertar da Força

O filme nem estreou e já tá emplacando recorde. Nos EUA e no Canadá, a rede IMAX já contabiliza cerca de 6,5 milhões de dólares em vendas antecipadas de ingressos. Sites como Fandango e Movietickets.com não seguraram a onda e ficaram fora do ar diversas vezes ao longo do dia. A estimativa é que “Star Wars: O Despertar da Força” arrecade em torno de 2 bilhões de dólares em todo o mundo.

Star Wars: O Despertar da Força

Star Wars: O Despertar da Força

Star Wars: O Despertar da Força

Mas não fica só nisso. Em termos financeiros, as coisas vão muito bem. Porém, ontem também vimos circular notícias sobre um movimento de boicote ao filme. A hashtag #BoycottStarWarsVII dominou os trending topics do Twitter ainda na segunda e a discussão perdurou ao longo da terça-feira. Parece que começou como uma brincadeira, tipo essas trollagens que o Não Salvo costuma fazer, mas acabou tomando proporções bem racistas e tudo mais. Certos assuntos precisam de apenas uma faísca, certo? Afinal, os protagonistas do longa são um negro e uma mulher. Prato cheeeio para gente preconceituosa.

Sobre o filme, estou bastante ansiosa pra assisti-lo! Ingressos já comprados, vamos levar papi ao cinema pra ver com óculos 3D cada detalhe desse novo episódio. E vocês? Curtem Star Wars? Quem tá animado também?

Créditos das imagens: página oficial do Star Wars no Facebook.

Facebook Instagram Twitter Pinterest snapchat: hackelz

variedades

5 coisas que eu não dou a mínima

Esse é aquele tipo de post que muda completamente a imagem que temos de determinada pessoa. Você sempre achou que aquela sua miga amava a banda tal, até o dia em que ela afirma com todas as letras que acha um saco. Ou que não gosta de tal filme. Não dá bola, simplesmente – e tá tudo bem se isso acontecer, viu?

Brincadeiras à parte, me deu vontade de fazer o seguinte exercício: pensar sobre 5 coisas que eu não dou a mínima, inspirada pela Isadora. Algumas dessas coisas tem explicação, outras não tem. A gente simplesmente não ama, nunca amou, nem deve amar. Ou pode ser que mude, vá saber… Quem diria que eu não dou a mínima pra Friends? Eu tenho cara de que gosto de Los Hermanos, não tenho? Eu espero profundamente que vocês continuem me amando e me aceitando desse jeitinho meio estranho que sou.

1. MasterChef

Pois é, gente. Eu sei que deveria acompanhar pelo menos pra ter assunto com os seguidores do Gordelícias, mas assim, tentei assistir à primeira temporada e achei um saco. Edição estilo Big Brother, com aqueles personagens batidos, tendo como pano de fundo receitas que nunca dão muito certo, afinal estão sendo preparadas sob pressão por pessoas que nem profissionais são. Não rolou, nem mesmo tendo amigo na segunda edição.

2. Nutella

Se eu contar pra vocês que nesse exato momento há quatro potes de Nutella habitando meu armário, lacradas? Recebo de presente e só abro quando alguma receita pede. Não sou a maior fã de Nutella e acho que é em certos momentos mais valorizada do que deveria. Acho doce demais e acaba roubando o sabor dos alimentos, sabe?

3. Friends

Já aconteceu várias vezes comigo: em uma rodinha de amigos, tem sempre aquele indivíduo que “quota” determinada fala/personagem crente que você é obrigado a saber do que se trata. Faço cara de paisagem e a pessoa do outro lado fica nervosa, querendo saber por que tô sendo blasé. Digo que não entendi o comentário e logo escuto o clássico “COMASSIM VOCÊ NÃO VIU FRIENDS?”. Não, cara. Não vi. Nunca me conquistou. Devo ser um ET.

4. Horóscopo

“Amiga, você é tão capricórnio”. “Fulano tá sendo muito pisciano, cara”. Com todo respeito a quem acredita em astrologia mas é sério mesmo que vocês acham que uma personalidade/vontades/atitudes são regidas somente por astros? O meio não tem influência? O livre arbítrio? Até penso que pode ser bem lá no fundo que o alinhamento de planetas possa influenciar alguma coisa, assim, beeeem de longe, mas não consigo meeeesmo aceitar que sou o que sou por ser capricorniana com lua sabe Deus onde. Sinto decepcionar minhas amigas que seguem horóscopo.

5. Los Hermanos

Pronto, agora eu apanho. Juro que não é pra ser do contra, afinal esse é um post que tem com objetivo fazer um contraponto entre coisas que muita gente ama/curte e que você não liga muito. E Los Hermanos entra nesse balaio. Já fui muito fã de ir a show longe pra cacete, tive todos os CDs, cantei junto no Canecão nos últimos shows da banda. Mas passou. Ficou pra trás, junto com algum ex namorado. Ainda tenho carinho por várias músicas, algumas delas traduziram por tanto tempo anseios de minha alma… hoje em dia não tenho mais saco e não me importo.

Facebook Instagram Twitter Pinterest snapchat: hackelz

pra gente, variedades

Como organizar um bazar

imagem do topo: daqui

Esse era um post que eu queria fazer há algum tempo mas sempre batia uma preguiça porque sabia que não poderia escrever qualquer coisa. Precisava me empenhar, listar o que é bacana, o que funciona, enfim, chegou esse momento. Vamos lá!

.

Há alguns anos decidi que queria vender umas roupas que não usava mais. Via algumas amigas vendendo sandálias Melissa que não queriam usar mais, na época usavam o Orkut e até mesmo blogs pra tal, funcionava. Eu mesma cheguei a comprar uma Melissa nesse esquema, veio toda certinha, em bom estado. A lógica é simples: quantas coisas a gente tem guardadas em nossos armários que simplesmente não usamos mais? Ou nunca usamos? Nunca fui uma compradora compulsiva, sempre tentei ter o mínimo de discernimento na hora de levar alguma coisa pra casa, porém mesmo sendo cuidadosa e racional na medida do possível, já comprei roupa por impulso e, obviamente, não vesti.

Sempre fui uma pessoa estampada/colorida/~diferente. Um sapato, uma bolsa, um vestido. Já rolava aquela vibe “isso é a cara da Raquel” e eu também absorvi essa filosofia. Olhava pra coisinhas fofas nas vitrines e já comprava, mesmo sem saber como usar ou encaixar nos meus looks diários. Hoje em dia eu já não curto mais tantas cores e padronagens e o que aconteceu? Simplesmente não sei como fazer uso de um armário que não combina mais comigo, com o meu lifestyle e jeito de ser. Resumindo? Resolvi vender boa parte.

Foi assim que comecei a vender algumas coisinhas online. Usei o blog, usei o Facebook, usei o Enjoei. Mas foi nos bazares com amigas que a coisa fluiu melhor. Aquela coisa de poder pegar a roupa, experimentar, fazer um preço mais camarada porque não tem frete, não tem embalagem… Sem falar que é sempre divertido organizar esse tipo de encontro, por mais cansativo que seja. Sabe o que é mais legal? Quando você organiza uma turma maneira, que capricha na seleção dos “enjôos”, afinal não se engane, você não é o único ser humano com peças encalhadas em casa, viu? Outras pessoas também sofrem desse mal.

Baseada na minha ~experiência~ organizando bazar de desapegos, posso dizer pra vocês o seguinte:

✔ Coloque pra fora o desapego que existe dentro de você

Antes de pensar no bazar em si, essa é a etapa mais importante de todo o processo. Olhar para o que você tem, analisando friamente: 1. o que você ainda quer manter no armário por algum tempo mais; 2. o que você não vai usar nem que emagreça/engorde/chova/faça sol. Quantas roupas a gente não guarda “pra quando emagrecer”? Ou então “pra quando viajar pra tal lugar”? Você pode até emagrecer ou viajar mas não se engane, no fundo aquelas peças estão ali apenas fazendo figuração.

Uma coisa que aprendi é: passou mais de um ano e você nem chegou perto da roupa, será que precisa tanto dela assim?

✔ Organize um encontrinho de troca e venda com amigas

Separou aquelas roupas em bom estado, praticamente novas, que você não quer mais? Marque um café com amigas, cada uma leva seus desapegos… Veste dali, prova daqui… Tenho certeza de que você vai fazer bons negócios! Volta e meia troco roupas com amigas que vestem praticamente os mesmos tamanhos e é tão bom voltar pra casa com novos vestidos, sapatos…

✔ Crie um álbum no Facebook para expor os enjôos

Se o seu problema é a quantidade de roupas, pode não ser uma boa ideia trocar com amigas. A parada é vender mesmo, certo? Seja pelo espaço ou até mesmo pra levantar uma grana, uma boa pedida é criar um álbum no Facebook para expor os desapegos. Deixe público, marque pessoas que possam ter interesse, divulgue por aí. Há grupos dedicados a venda e troca de roupas porém dependendo da organização, pode não dar muito resultado… No seu álbum, você controla as interações, edita as legendas com os valores, é bem prático – e funciona!

minha lojinha no facebook >> clique aqui

✔ Anuncie em sites especializados em venda

Se você quer alcançar uma audiência maior na hora de expor seus produtos, vale a pena anunciar em sites especializados como Enjoei ou mesmo OLX ou MercadoLivre. Aqui em casa nós anunciamos alguns móveis quando nos mudamos e tivemos um bom feedback no OLX. Para as roupas, o Enjoei é uma boa, apesar de ser mais chatinho com as fotos que você faz. Também acho um pouco ruim a forma de receber o dindim (sem falar que eles seguram uma porcentagem) mas faz parte, continua valendo a pena, principalmente com desapegos mais carinhos.

minha lojinha no enjoei >> clique aqui

✔ Não vai vender? Doe!

Você separou os desapegos mas tem aqueles que sabe que não vai vender… que tal doar? Estão em bom estado? Limpinhos? Há muitos locais de coleta que aceitam peças de vestuário, roupas de cama, coisas de cozinha… Aqui em casa separei duas caixas só de utensílios de cozinha como panelas e potes que foram para uma ONG que atende crianças. Eles ficaram muito felizes pois estavam montando um espaço para servir refeições e esses materiais vieram em ótima hora. Vale a pena pesquisar aqui onde encontrar uma ONG perto de você. Algumas igrejas e associações de moradores também coletam, vale a pena ficar de olho e fazer um gesto bacana por quem precisa!

.

O mais interessante disso tudo é fazer as coisas fluírem. Não há necessidade de manter parado seja no seu armário ou na vida algo que já não faz mais sentido pra você. 

.

Facebook Instagram Twitter Pinterest snapchat: hackelz

conversas, variedades

TAG: 7 coisas

Sabe quando a pessoa “fura” dieta? Bom, essa sou eu no BEDA! Teve dia aí sem post, algumas coisinhas super importantes apareceram no meio do caminho e acabei não conseguindo produzir tanto conteúdo como gostaria. Ideia tem de sobra, mas falta tempo às vezes e prefiro não correr tanto, afinal nem é esse o propósito do desafio, né? Mas vamos ao que interessa, hoje tem post legal!

Vi essa TAG rolando no lindo Na Nossa Vida e me inspirei para falar sobre 7 coisas da vida. Percebi que muita gente curte esse tipo de postagem, eu mesma adoro ler esse tipo de post, é como se eu pudesse conhecer um pouco mais sobre quem tá escrevendo. Acabei aproveitando as categorias que a Isa (autora do Na Nossa Vida) usou e acrescentei mais algumas, espero que vocês gostem!

7 coisas para fazer antes de morrer

  • Correr uma meia-maratona
  • Adotar um cachorro.
  • Fazer a viagem pela costa da Califórnia (e dirigir em algum momento).
  • Ter uma festa de casamento (nem que seja um churrasquinho).
  • Conhecer o Bono Vox.
  • Ler 50 livros em um ano (RISOS).
  • Levar minha mãe para conhecer Portugal.

7 coisas que eu mais falo

  • “Gente”
  • “Tipo assim”
  • “Qualquer coisa”
  • “Tô com fome”
  • “Então”
  • “Né”
  • “Super fácil”

7 coisas que eu faço bem

  • Playlists
  • Brownie de chocolate
  • Drama
  • Escândalo
  • Cafuné
  • Faxina
  • Projetos

7 coisas que me encantam

 

  • Jardins floridos
  • Comida caseira
  • Cheiro de chuva
  • Cigarras cantando no fim da tarde
  • Shows em geral
  • Livros e filmes “com final feliz”
  • Bichinhos em geral

7 coisas que eu não gosto

  • Dobradinha (a comida)
  • Gente espaçosa
  • Calor (tipo o verão carioca)
  • Encher a cara e ficar de ressaca depois
  • Vendedor de loja inconveniente
  • Fazer relatório
  • Fazer faxina

7 coisas que eu amo

  • Meus filhotes felinos
  • Ficar em casa
  • Relembrar viagens e momentos felizes com Pedro
  • Visitar meus pais e avó
  • Correr à beira mar
  • Cozinhar sem pressa
  • Conhecer novos lugares

7 coisas para comer

  • Hambúrguer
  • Pastel bem recheado e gordinho
  • Massa com molho encorpado
  • Sorvete cremoso e sem gordura hidrogenada
  • Risoto com bastante manteiga
  • Pão crocante
  • Drinks geladinhos em um dia quente

7 coisas para enterrar no passado

  • Ex-namorado machista
  • Gente interesseira
  • Preguiça de ir pra academia
  • Culpa por alguma situação
  • Obsessão por ser magro como era quando novinho
  • Bullying sofrido na escola
  • Preconceitos

curta o blog no Facebook siga no Instagram acompanhe os tweets snapchat: hackelz

Maionese no BEDA

variedades

TAG: 5 coisas que me deixam mais feliz

A maravilhosa Ba Moretti, figura tão querida na blogosfera brazuca, compartilhou essa tag outro dia e achei que tinha tudo a ver comigo e com o blog. Na onda de fazer posts mais pessoais, que contem mais sobre quem a gente é, pensei que seria uma boa ideia falar sobre coisas que me deixam mais feliz. É simples, é direto e é uma forma de sermos mais gratos com o universo ao nosso redor.

Quem eu indico pra responder essa tag? Quem estiver com vontadinha de falar mais sobre si! #sejoga

1. ouvir uma música que amo em lugares inusitados

Já aconteceu de estar fazendo compras, na seção de legumes, e de repente toca alguma música que amo muito. Não sei vocês mas eu começo a cantar, mesmo que seja baixinho. Aliás, já perceberam como os supermercados estão investindo em rádios e playlists? Certeza que há um estudo por trás disso, nada é por acaso!

2. banho gelado depois de suar horrores correndo

Eu diria que essa é uma das melhores sensações do mundo. Você tá morto, suado, acabando, sem dignidade. O cabelo chega a estar pingando, transpiração excessiva. Melhor coisa? Tomar água, sim… porém o banho é uma benção. Nessas horas sempre agradeço por ainda termos água e também canonizo mentalmente a pessoa que “lá atrás” se ligou que água doce limpa tudo.

banho-gif

3. notar que o garçom está trazendo comida e sim, é pra sua mesa

Geralmente, cometo o erro de sair pra comer alguma coisa já morrendo de fome. PIOR SENSAÇÃO DO MUNDO. Você já tá devorando os cantos dos dedos, senta em uma cadeira confortável, aquele cheiro da cozinha invade suas narinas e nada pior do que ver o povo ao redor recebendo os pedidos e você não. Mas há algo de mágico nesse universo: perceber que o garçom, que geralmente traz bandejas que nunca são pra você, dessa vez, traz a sua comidinha. Quentinha, de forma rápida e incrível. Deus é bom, viu?

E aqui, vou inserir mais uma felicidade, porque comida faz isso com a gente:

PLUS: pedir uma comida e ela ser incrível de boa

Um dos filmes que mais amo é Ratatouille. Sempre choro, sempre me identifico, enfim, judge me. E uma das cenas mais lindas é quando o crítico vai provar o ratatouille feito pelo ratinho e o sabor o remete imediatamente à infância, com recordações da mãe. A cena é tão linda que só de descrevê-la meus olhos se enchem de lágrimas. A comida tem esse poder de provocar sensações de satisfação, nostalgia e alegria extrema.

4. ganhar presente de alguém querido e ser exatamente aquilo que você estava querendo

Adoro quando as pessoas se preocupam em dar algo que você tava querendo. Ou não necessariamente ~querendo~ mas algo que tenha a ver contigo. Fico que nem aquele garoto que ganha um Nintendo 64, sabem?

5. fazer algo inusitado no meio do dia, contrariando rotinas

Tem dias em que acordo super cedo, dou um gás nas tarefas de trabalho daí no meio da tarde já finalizei o expediente. Me largo no sofá e leio um livro. Certos prazeres são impagáveis e deliciosos. Antigamente me sentia “culpada” porque né, todo mundo tá trabalhando no escritório e eu lendo. Mas é tudo uma questão de ponto de vista. Tá feito? Tá entregue? Então estamos de boa.

acompanhe o maionese por aí:

curta o blog no Facebook siga no Instagram acompanhe os tweets snapchat: hackelz

Maionese no BEDA

Maionese no BEDA
conversas, variedades

Maionese no BEDA 2015

Hoje é dia 3 e digamos que estou um pouco ~atrasada~ em um projeto que mal conheço e já considero pacas, promovido pela galera linda do Rotaroots. Chama-se BEDA (Blog Every Day August). Palavra estranha? Porque em inglês? Ele é inspirado em um projeto que alguns youtubbers já fazem chamado VEDA, que significa Vlog Every Day April. Daí que um povo se animou e estendeu a ação também para agosto e, pensando nisso, a turminha linda dos “rotas” sugeriu que a blogosfera brazuca abraçasse a ideia nos blogs.

Onde compra, pra que serve, Raquel?

Como o nome já diz, o objetivo é postar no bloguito em todos os dias de agosto. Isso mesmo, post novo a cada dia, durante o mês todinho. Okay que já tô atrasada nesse bagulho e eu explico: pensei bastante antes de aderir. Teria euzinha tempo de subir post tous les jour no blog? Será que vou encher o saco de quem lê, principalmente das pessoas que assinam os posts por email? Pensei, pensei… resolvi participar. Seria uma oportunidade de participar desse desafio tão bacana de exercitar a escrita e a criatividade.

Antigamente, eu costumava discorrer sobre os mais variados assuntos e até tenho voltado com essa pegada nos últimos meses. Mas volta e meia estaciono em uma preguiça, um bloqueio criativo super nada a ver. Acho que quando a gente se despe de certos critérios, a coisa flui de um jeito bem mais fácil.

Como faz pra ter tanta inspiração?

Se o seu blog é mais pessoal e fala de tudo um pouco, vai ser moleza buscar assunto pra falar. Filmes assistidos, bandas favoritas, aplicativos pro celular, memórias da infância… Tudo vira conteúdo! A Loma Sernaiotto fez um post muito bom e completinho que pode te ajudar na hora de organizar as ideias pro blog, inclusive pra quem quiser ir além, é um baita exercício pra quem se sente meio perdido com a forma de escrever e se expressar.

Algumas sugestões bem loucas que pensei rapidamente, enquanto fazia esse post:

  • Devaneios na fila do supermercado
  • Receitas para um fim de semana chuvoso
  • Lugares para conhecer antes de morrer
  • Músicas para dançar coladinho
  • O que você quer ser quando crescer

Agora se o seu cantinho já é mais segmentado, focado em um determinado assunto, pode ser um pouco mais complicado porém não é impossível. Eu até pensei em embarcar nessa com o Gordelícias mas confesso que me senti mais a vontade aqui no Maionese. Ultimamente, tem sido meu blog preferido até.

Raqz, quero participar! #comofaz

Lá no Rotaroots tem tudo tão explicadinho que pra ser mais fácil, só sentando num pudim com tacinha de champanhe na mão! Tem até planilha pra vocês organizarem os posts, caras! Mesmo sendo dia 03, você pode começar “atrasadinho” (daí compensa nos outros dias de setembro). E se não der pra postar algum dia, não tem problema. A ideia é que a gente se desafie e exercite essa prática tão gostosa que é escrever. E, também, é uma forma de se permitir ser mais espontâneo, autêntico e natural. Me acompanha nessa?

acompanhe o maionese por aí:

curta o blog no Facebook siga no Instagram acompanhe os tweets snapchat: hackelz

Maionese no BEDA