Arquivo

consumo

Posts em consumo.

Os 50 anos das Havaianas

Quem vê um par de Havaianas hoje em dia não imagina que há 50 anos os chinelos estavam bem longe de ser item fashion. E se tem uma coisa que eu acho maravilhoso no mundo do marketing é isso, o momento em que a marca promove uma grande virada, se reposicionando de forma sensacional. O produto, que era item de cesta básica, se transforma em item desejado por todas as classes sociais.

São mais de 400 modelos de sandálias e quem diria que tem até tênis, alpargata, bolsa… Acho que não exista um brasileiro sequer sem um parzinho de Havaianas debaixo da cama. Coloridas, de saltinho, tira fina, com cristal chique, tem até chinelo que brilha no escuro. Ô produto democrático esse!

Em comemoração aos 50 anos, foi lançado um modelo comemorativo da sandália, igualzinha ao modelo original: tira azul e solado branco. A tiragem é exclusiva (50 mil pares) e sabe o que é mais incrível? Todo o dinheiro arrecadado com as vendas, isso mesmo, 100% da sua renda líquida, será revertida para a UNICEF. Curtiu? Compre a sua aqui.

A AlmapBBDO produziu um vídeo case lindíssimo, que conta a evolução das sandálias mais amadas do mundo, as sandálias que “todo mundo usa”. Pra assistir, é só dar play aqui embaixo (ou então clicar aqui).

Marshall Fridge: o frigobar rock and roll

Apenas um amplificador… 

“The coolest icon in music just got cooler.”

E não é que a Marshall, famosa por seus amplificadores, resolveu inventar moda? A marca acaba de lançar um frigobar sensacional, em comemoração aos seus 50 anos de existência.

No formato dos amplificadores, a geladeirinha já é must have na lista da “galerinha do rock”. Gente, tô sonhando com um na minha futura sala! SOCORRO!

E assim, o homem inventou a roda.

Mais aqui.

Via Brainstorm9.

por que eu quero isso?

Relutei em abrir o email. Vi lá “Aproveite! Dias Insanos na Imaginarium”. Pra quem está em contenção de despesas, é sofrível conter os impulsos consumistas. Aliás, eu sempre fui fascinada por esse mundo do consumo, de como a publicidade atua no nosso cérebro despertando desejos e nos fazendo, simplesmente, perder o controle.

A Imaginarium é uma loja bacanérrima, isso é um fato. Os preços são meio puxados para alguns itens mas é aquela, o consumidor não paga só uma xícara mas a experiência em si. A arte do produto, a criatividade embutida, a diferenciação das demais. É o status, a inclusão em um grupo, a satisfação de olhar pra cistaleira e ver uma xícara preta com marca de batom dourada.

canecasCanecas diferentes por 29,90

Estou lendo um livro chamado “A Lógica do Consumo“, de Martin Lindstrom, e quando vi que a discussão girava em torno de uma linha de estudos chamada Neuromarketing confesso que fiquei bastante receosa. Ora, um estudo que avalia àquele que não trai: o nosso cérebro. Porque pesquisas quantitativas e qualitativas dependem de uma série de fatores e um deles é fundamental para considerarmos os resultados válidos: a sinceridade das respostas.

Por que eu quero a caneca transada da Imaginarium e não a listradinha da Casa & Vídeo? O que me faz olhar pra vitrine da Oh!Boy e desejar todos os vestidos jeans deles, ao passo que a vitrine da Sacada não me impressiona at all? Nichos sociais, faixa etária, posição social, maturidade, momento vivido, estado civil. Em termos psicográficos, devemos considerar cada um destes fatores. Mas é exatamente ALÉM que devemos ir. O que diferencia duas meninas que responderiam a mesma coisa para todas essas perguntas? “Cada um é cada um”. E é para esse “cada um” que o mercado se volta. Vivemos a era do consumidor!

O livro é polêmico e perturbador. Buscar respostas que os métodos tradicionais de pesquisa até hoje não respondem, indo direto na fonte é considerado por muitos estudiosos sociais agressivo à natureza humana (por vezes, cruel). O interessante nisso tudo é observar o esforço dos pesquisadores do consumo em compreender como funcionamos diante de impulsos consumistas.

Falando em impulsos consumistas, não me contive e resolvi montar uma listinha de preciosidades aqui no blog. Só pra eu não esquecer, sabe? Mas se vocês quiserem me presentear com algo sabe, MÃE? Sabe, PEDRO? =D