Posts Tagged ‘eventos’

Mulherzices: Tratamento Hydre Sebastian no Werner Coiffeur

Sebastian Hydre | Maionese

Estive há alguns dias no Werner Coiffeur de Botafogo para conhecer um tratamento de nutrição para os cabelos da Sebastian. Posso dizer que foi meu “debut” nessa nova fase do blog, onde vou compartilhar com vocês praticamente tudo que gosto de fazer – não somente música, filmes e livros.

Uma das coisas mais legais foi poder encontrar e conhecer algumas meninas que escrevem blogs bem legais aqui no Rio de Janeiro. Achei muito bom mesmo! Além disso, cheguei com uma juba e saí com outra, tipo assim, transformação da Xuxa.

Cheguei ao Werner já no finalzinho do expediente e fui encaminhada à profissional que cuidaria do meu cabelo. O tratamento Hydre é indicado para todos os tipos de cabelo e penetra nos fios de um jeito diferente de uma hidratação convencional.

Primeiramente você lava os fios com o Hydre Shampoo, o que é sempre uma delícia né? Quando lavam nosso cabelo no salão – eu poderia dormir e tudo. Nesse tratamento, o cabelo é lavado duas vezes. Depois de lavado, o cabelo recebe o Hydre Conditioner – mecha por mecha. Com o creme nos fios, vamos para o vapor e ficamos ali por 15 minutos – passa rapidinho se você tiver uma amiga por perto para tagarelar. Após o vapor, lavamos os fios e finalizamos com escova. É nessa hora que o cabelo ganha ainda mais vida!

O tratamento dura mais ou menos 30 minutos + o tempo da escovação. Além de brilhoso, meu picumã ficou tão macio e sem aquele aspecto pesado, sabe? Tenho cabelo grande e ondulado, porém sem tratamento químico (nem tintura nem progressiva). No entanto, os fios estavam bem detonados por causa do cloro da piscina e ter feito esse tratamento foi ótimo. Saí do salão com cabelos tão sedosos, de passar a mão e sentir toda a maciez.

Hydre Sebastian | Maionese

Na foto: Camila Faria, Camilla Viccari, Nanda Nunes, Marie Victorino, Carol Guido e euzis.

Adorei o convite para conhecer o produto! Em breve trago mais novidades, pessoal! :)

Werner Coiffeur
Rua Voluntários da Pátria, 468
Botafogo – Rio de Janeiro
Tel: (21) 2537-1177

Oficina de Álbum de Fotos com Paola Miranda, Craft.in

Craft.in | Maionese

Conheci a Paola Miranda quando ela entrou em contato comigo a respeito de uma parceria com o Gordelícias. Foi dessa forma que descobri que além de morarmos no mesmo bairro, morávamos também bem pertinho (a rua da Paola é do lado da minha). Lógico que viramos amigas. Lógico que babo por tudo que ela faz.

A Paola é mãe da Craft.in *design e papelaria fina*. e ensina muita a gente a fazer coisas bonitas. Álbuns, agendas, porta-retrato, cadernos, fichários… tudo com tecidos lindos, diz se não é apaixonante?

Crafti.in | Maionese

craft_in1

No próximo sábado 26/10 ela vai agitar uma oficina de álbum de fotos, em parceria com a Tecidaria. Oportunidade super bacana pra aprender a técnica “borboleta” e caprichar ainda mais nos seus trabalhos (fim do ano tá vindo, bora ganhar $$$?). Seja por hobby ou profissionalmente, tá aí uma chance das boas.

Oficina Craft.in | Maionese

Serviço:
Hora: 10hs
Dia 26.10
Local – Tecidaria
Praça Santa Edwiges, 22, São Cristovão, Rio de Janeiro/RJ
Tel.: (21) 3613-2000 Ramal 209

Inscrição: tecidaria.workshop@laestampa.com.br

Minha experiência na Bienal do Livro Rio 2013

No sábado passado, fui conferir de pertinho a Bienal do Livro 2013, edição Rio de Janeiro. Fazia anos que nem eu nem Pedro íamos à Bienal então reservamos o sábado para enfrentar a multidão que era certa no local. Além das excursões, o fim de semana recebe milhares de famílias em busca das novidades reservadas para o maior evento de literatura do Brasil.

Logo cedo, fui “avisada” pelo Twitter de que devia me preparar para tumulto na hora de entrar/caminhar/visitar os stands. Como a gente acabou indo bem depois do almoço, foi mais tranquilo pra entrar mas havia fila – portanto, prepare-se: é fila pra entrar na Bienal e, muitas vezes, pra entrar nos stands…

bienal_rio9 bienal_rio6 bienal_rio5 bienal_rio3

Muita coisa que você encontra na Bienal está à venda mais barato em livrarias online. Se você é um “rato das compras online”, não vai se deixar enganar por algumas promoções que, na verdade, não são bem promoções. Mas, nem tudo está perdido: há stands com ótimos descontos, como o da Senac. Fui à Bienal basicamente atrás de livros de culinária e lá acabei comprando dois, cada um com 30% de desconto. Valeu muito a pena!

bienal_rio10

bienal_rio11

Além dos descontos exclusivos de algumas editoras, há também novidades que você ainda não encontra online. Vi vários relançamentos em edições especiais (como livros do Nick Hornby) e também livros em pré-lançamento. Acabei levando um livro sobre o seriado The Walking Dead, principalmente pelas referências à HQ. Vou resenhar em breve aqui no blog.

bienal_rio8

bienal_rio7

Foto bem coxinha na frente do painel… Esse momento do Rick no cavalo é demais!

Ao entrar no stand, pergunte se há alguma promoção do Foursquare pois algumas editoras estão fazendo ações bem legais – como a Elsevier (ganhei uma caneca linda). Não esqueça de perguntar pelos descontos também!

Bora fazer um resumo do evento?

PONTOS POSITIVOS

  • Descontos especiais
  • Encontros com autores
  • Lançamentos exclusivos
  • Brindes das editoras

PONTOS NEGATIVOS

  • Filas, muitas filas
  • Carrinhos de bebês (sim, como eles atrapalham)
  • Engarrafamento pra chegar/ir embora
  • Comida cara e ruim

Animou? Corre que ainda dá tempo! Se for de carro, dica: pague seu estacionamento assim que chegar e evite apurrinhação na hora de ir embora. Se for de ônibus: desça na Alvorada e pegue o transporte direto pro evento.

Bienal do Livro 2013
Programação, como chegar… AQUI.

#RioEuTeAmo: um movimento de amor pela cidade que vai virar filme

rio-te-amo

Na segunda-feira passada, fui convidada pela Conspiração para o lançamento do projeto #RioEuTeAmo, movimento pela cidade do Rio de Janeiro que vai virar filme. O longa será a versão brasileira da bem-sucedida franquia “Cities of Love”, que homenageia grandes cidades do mundo, idealizada e criada pelo produtor, roteirista e diretor francês Emmanuel Benbihy, que já produziu Nova York, eu te amo (2009) e Paris, eu te amo (2006).

Desde outubro de 2012, o movimento tem mobilizado milhões de pessoas com ações nas mais diversas frentes: comunitária, cultural, de esportes, entretenimento e lazer. No Facebook são mais de 500 mil fãs. No Instagram mais de 15 mil pessoas já postaram fotos com a hashtag #rioeuteamo. E não se restringem apenas ao “online”: por todos os cantos da cidade, pipocam ações como oficina de pipa para crianças do Complexo do Alemão, feijoada com a Velha Guarda na Mangueira e por aí vai.

O filme começa a ser rodado em agosto de 2013, com lançamento previsto para 2014. Andrucha Waddington, Fernando Meirelles, José Padilha e Carlos Saldanha são alguns dos diretores que estão confirmados desde o anúncio da produção ambientada no Rio de Janeiro, que terá ao todo 10 diretores nacionais e internacionais.

Confesso que estou ansiosa pra ver o resultado final dessa produção. Torço pra que não fique apenas no “Rio-Zona Sul”, visto que essa cidade é tão grande e tão plural. É preciso mostrar para o mundo que há muito mais do que belas praias e Pão de Açúcar. Acredito que vem coisa boa por aí!

#RioEuTeAmo é um projeto da Conspiração, em parceria com as produtoras Primum Entertainment, Bossa Nova Films e Oz Produções, que tem patrocínio de O Boticário e da Nextel e apoio do Governo do Estado do Rio de Janeiro e da RioFilme.

Novidade: Puma Social Guide

Na última quarta-feira (15/08) rolou aqui no Rio de Janeiro um evento bem bacana para apresentar o Puma Social Guide. O Maionese foi convidado para conhecer o projeto e quem vos conta tim tim por tim tim é a Thaiana Mendes, minha querida amiga, que esteve por lá e conta tudo pra gente.

***

Puma Social Guide – conheça os atletas da noite

A Puma acaba de lançar o projeto Puma Social Guide, que tem como objetivo reunir em um site conteúdo para os atletas da noite. Com muita descontração, o guia reúne dicas para os atletas da noite conhecerem e curtirem lugares inusitados que não estão em guias convencionais das cidades “fervo” do Brasil.

O site do projeto é clean e super fácil de navegar, repleto de dicas sobre os mais diversos locais. Você pode escolher desde um jantar à dois, como comer no “podrão”, ou “fazer uma night” com os amigos. Pra quem tem tablet, é perfeito!

O Puma Social Guide te permite fazer roteiros e enviar para os amigos, tem resenhas e a localização dos locais indicados… Pode ser associado com Facebook e Twitter. Além disso, tem dicas bem legais sobre comportamento, aplicativos pra baixar q evitam q você mande aquela mensagem bêbada pro seu ex e por aí vai. Bem divertido!

Como o projeto ainda é bem recente, você pode acabar sentindo falta de algum lugar mais conhecido, que frequente mais. Mas não desanime! É possível enviar sugestões, com nome do local e endereço, que a equipe da Puma prometee avaliar e, julgando pertinente, colocam sua indicação lá!

Por enquanto, o projeto abraça apenas Rio de Janeiro e São Paulo. Quem sabe eles não estendem para outros picos?

Curtiram? Só dar um confere: http://www.pumasocialguide.com.br/

e o coração bate mais forte

Eu queria poder explicar pra quem não age igual a mim a felicidade em saber que a sua banda preferida vem tocar na sua cidade. Tem gente que acha besta, que pensa que você é maluco ou que simplesmente não liga pra música. Eu costumo classificar essas pessoas no mesmo grupo de pessoas que não gostam de animais. Afinal, como alguém não consegue gostar de um cachorro, meu Deus? Talvez quem tenha medo e tals, compreensível.

Ou então, quem não gosta de batata-frita? Alguém? Alguém? Alguém não gosta? Não há. Por isso, não entendo quem  não consiga gostar de música, seja qual for o gênero preferido.

Hoje fui acometida por uma dessas felicidades bobas, num dia cheio de altos e baixos. A “possível vinda” do Broken Social Scene para o Rio de Janeiro (entre aspas porque não há a mínima chance de não rolar esse festival). A banda estará no Brasil para o Festival Planeta Terra, mega esgotado há alguns meses. Eu já sofria (de verdade) com a possibilidade de não assisti-los, assim, tão “perto” de casa.

Daí que o Lucio Ribeiro cantou a pedra. E um certo email na caixa de entrada falou disso aqui:

Se você não conhece o projeto Queremos, faça o favor de visitar o site dos caras e saber do que se trata. Uma iniciativa tão bacana que está há alguns meses promovendo os eventos mais legais do Rio de Janeiro. E nessa enxurrada de atrações vindo ao Brasil (haja cartão de crédito), é sempre uma satisfação quando uma dessas bandas faz você sorrir com a alma.

“park that car, drop that phone, sleep on the floor, dream about me.”

Encontro marcado em novembro. Pra gente ser um pouquinho mais feliz.

U2 360º: o melhor show da minha vida

WHAT TIME IS IT IN THE WORLD?

Desde ontem, quando acabou o primeiro show do U2 no Brasil, da 360º Tour, estou pensando nesse post. Em como poderia compartilhar com leitores que amam e odeiam U2. Que acham Bono Vox um idiota. Que acham Bono Vox um líder nato, que motiva e envolve milhares de pessoas em uma catarse coletiva, através da música. E de suas ideias.

Penso pelo lado frio da coisa e vos digo: nenhuma banda atualmente reproduz o que o U2 faz em palco. Tanto pelo lado da produção do espetáculo, com um palco gigantesco, cheio de luz, efeitos, equipamentos de última geração, quanto pelo lado emocional da coisa: uma banda que há alguns anos não tem um grande hit mas que há 30 anos está junta e arranca gritos da alma.

Pra você, amigo leitor, que não gosta de U2: é preciso encarar o show dos caras como uma experiência divertida. Você conhece alguma música, você se envolve com as questões políticas, você ri e se emociona com as imagens. Você interage com os artistas em algumas horas de show. Mesmo não curtindo o jeito arrastado do Bono Vox de cantar. Ignore a implicância, encare apenas tudo aquilo como entretenimento. Faça o teste e depois compartilhe comigo.

Agora, para você, amigo leitor, que ama U2: é impossível não se emocionar ao ver no telão mais playsson do mundo imagens da banda nos tempos de The Joshua Tree. Em um mesmo telão, The Edge e Bono Vox juntos – antes e depois. Uma das sintonias mais perfeitas que o rock já viu. Voz, cumplicidade no palco e anos de amizade. The Edge pode parecer apenas um coadjuvante de uma banda que tem um grande chamariz. Mas não é. The Edge é um monstro na guitarra.

Adam Clayton, sempre low profile, sorri timidamente das macaquices de Bono e Larry Mullen Jr, o eterno galã, na bateria ainda arranca suspiros das meninas. E Bono magicamente exerce um domínio na multidão, que deita, rola e abana o rabinho na plateia, enlouquecida e apaixonada. E eu sou uma dessas apaixonadas.

Teve Adoniram Barbosa e seu Trem das Onze, abrindo o show. Também teve o momento com a fã, onde uma mocinha e Bono declararam um poema de Pixinguinha. E para encerrar o show, houve homenagem às vítimas da chacina de Realengo (o momento mais emocionante, na minha opinião).

O setlist contou com 23 músicas. Alguns clássicos como Pride (In The Name of Love) e New Year’s Day também foram deixadas de fora. Mas, pra minha surpresa, teve Hold Me, Thrill Me, Kiss Me, Kill Me e Miss Sarajevo.

Setlist U2

E eu não poderia deixar de falar do Muse. Eu nunca tinha visto Muse ao vivo e ouvi de muitos amigos que aquele era um show MUST SEE. E vou te dizer: que banda incrível! Uma pena o show ter sido tão curtinho, deixando de fora do setlist preciosidades como Time is Running Out e Sunburn

Setlist Muse

Algumas fotinhos:

.Mais fotos aqui, no link do Terra.

Melhor show da minha vida. E o ingresso vai pra coleção, ficar juntinho com os outros dois (Pop Mart, em 1998 e VertigoTour, em 2006).

planeta terra: considerações e agradecimentos

Com um cadinho de “lag”, cá estou a escrever algumas linhas sobre um dos melhores festivai de música da atualidade, no Brasil: o Planeta Terra.

Esse é mais um daqueles posts grandões, cheios de conteúdo. Se você não estiver com muito tempo e paciência para lê-lo, volte “mais tarde” ou passe pra outro blog. Caso contrário, é só clicar no “more” aqui embaixo.

(more…)

no ipod: phoenix – if i ever feel better

A poucos dias de mais uma trip para São Paulo, para um dos festivais de música mais bacanas da atualidade – Planeta Terra – é claro que não podia faltar no meu iPod um pouco do som que vai rolar por lá no sábado.

Várias bandas da cena indie rock aterrisarão por aqui, com destaque mega blaster pra Smashing Pumpkins, que não tem nada de indie e é só uma das bandas da minha vida (visualizem aqui uma garotinha de 13 anos que entrará em transe por pelo menos uma hora e meia…). O destaque hoje vai para o Phoenix, uma simpática banda de rock alternativo francesa, com músicas deliciosas, com 4 álbuns muito bons lançados na praça.

O último álbum da banda Wolfgang Amadeus Phoenix, esteve presente em 9 de 10 listas de melhores álbuns de 2009.

Mas, mesmo amando esse álbum, hoje dedico pros amigos do blog uma faixa do primeiro álbum deles, lançado há 10 anos atrás: do álbum United, “If I Ever Feel Better” é uma das músicas mais famosas da banda e me traz lembranças muito gostosas.

Para ver o clipe, tem que clicar no link aqui.

No one knows the hard times I went through
If happiness came I miss the call
The stormy days ain’t over
I’ve tried and lost know I think that I pay the cost

Now I’ve watched all my castles fall
They were made of dust, after all
Someday all this mess will make me laugh
I can’t wait, I can’t wait, I can’t wait…

#musicmonday: crystal castles – vanished

Tô há algum tempo sem postar nada nessa “coluna” e hoje a dica é Crystal Castles, que aterrisa em terras brasilis essa semana, fazendo duas apresentações no Rio – Circo Voador, dia 24/09, e São Paulo – Kaballah, dia 25/09.

A dupla canadense faz um som eletrônico vibrante, confuso, dançante, usando e abusando de sintetizadores, incluindo à mistura efeitos de… vídeo game (o famoso 8-bit – apelidado de nintendo core)!

Eu já garanti meu ingresso para vê-los na próxima sexta-feira. Depois venho aqui contar pra vocês o que achei do som ao vivo. O vídeo abaixo, gravado no último dia 17 em Bogotá, mostra como a dupla funciona de verdade (com direito à batera moendo). De arrepiar!

ame, simplesmente

Você ama o que vê quando se olha no espelho?

Não é novidade pra ninguém que vivemos uma época que ainda cultua a magreza doentia, aquela obtida não com uma alimentação saudável ou academia mas com medicação contra-indicada, regimes mirabolantes (dieta da lua, do sol, do povo inca, da novela das 20h…).

Modelos magrelas que em nada retratam a realidade do século XXI, dominada por fast foods, cerveja e sedentarismo. Se pegarmos a própria rotina dessas modelos, a gente sempre escuta “como de tudo, adoro uma batata-frita”, well, ou o seu metabolismo é muito acelerado a ponto de te deixar com 50kg ou então é um grande caô essa conversa.

Quando eu tinha uns 15 anos, era bem magrinha. Mas dessas magrinhas que tem peitão e perna mais grossa. Fazia vôlei, malhava, era super “geração saúde”. Lembro que algumas amigas eram um pouco mais rechonchudas e volta e meia comentavam como eu podia comer de tudo e não engordar nada. Cheguei ao ponto de fazer dieta da engorda pra ganhar mais massa, porque eu malhava tanto, queria ter pernão, bundão.

Hoje, com 27 anos, a realidade é outra. O vôlei ficou no passado, a academia também. Aliás, eu não tenho saco pra academia. Música chata, aparelhos suados, aquela repetição monótona, não dá. Fora o tempo, que é praticamente inexistente. Ou eu almoço, durmo e estudo ou malho. Vida de quem trabalha e estuda é assim: abre-se mão do bar na sexta-feira com o povo do trabalho, da pizza com os amigos e da academia, do pilates, do kung fu.

O peso anda acima do desejável. Mas se tem uma coisa que eu não aceito é que isso vire uma paranóia na minha vida. E sabe por que? Porque eu amo o que vejo refletido no espelho.

Cada pedacinho. O rosto que hoje tem acne graças aos hormônios desequilibrados; o cabelo que não sabe se enrola ou se estica; o peito, que podia ser menor, a batata da perna também, a barriga nem se fala… Mas aí eu penso que com uma blusa mais soltinha, tudo acaba sumindo e fica bonito! Porque o bonito não é ter um ombro saltado, quase somaliano, quando a gente sabe que não é natural daquela pessoa, quando pra chegar naquele resultado a pessoa simplesmente não come ou, em casos mais tristes, sofre de distúrbios alimentares. Propagar uma magreza desse tipo chega a ser cruel com os mais jovens que, cada vez mais, padecem diante desse apelo, quase uma doutrina, que incita mulheres a não se amar e se tornarem um exército de pessoas sem alma, que fazem de tudo para caber em um vestido.

perfect

É difícil remar contra a maré. É difícil convencer uma geração a não ceder aos apelos da moda, do corpo ideal (ideal PRA QUEM?). Mas a gente não pode desistir. Por isso, repito, vamos nos amar? Do jeito que somos? Dá pra malhar, pra ficar mais fininha? Vai lá, corre atrás! O negócio é correr atrás de forma consciente, sem fazer mal pra si mesma. De que adianta um jeans 36 quando a nossa cabeça tá toda zoada? Amor próprio destruído? Não vamos nos enganar.

love revolution

heart

Fotos: duas primeiras, peguei no Tumblr e não tinha referência.

Leia mais:

Love Your Body Day

Duplamente Veneziana

3ª edição Luluzinha Camp RJ + Mão Feita

Dia 14 de Novembro você, moradora do Rio de Janeiro, gata-bofe-escândalo, marota, que se amarra num esmalte, numa unha bem feita, cuidada, sem bife, tem programação marcada?

Porque se não tinha, já tem sugestão:

Eu já falei do Luluzinha Camp em outro post aqui no blog. É aquele evento que rola no Brasil todo, cheeeeeeeeio de menina se conhecendo, trocando figurinhas e muitas dicas – além de todos os comes e bebes que rolam por lá, tudo delicioso!

Em novembro rola a 3ª edição do evento e euzinha que vos falo estarei por lá representando o Mão Feita,  É muita responsabilidade e emoção, né?! Clica aqui pra saber mais!

Na edição passada, eu e Ira estivemos por lá e fotografamos as unhas de quase todo mundo (além de termos conhecido tanta gente fofa – e comido horrores, não dispenso um lanchinho)! Então que nessa edição, faremos um Workshop com dicas para dar um trato nas garras. Também vai ter sorteio de kits de esmaltes e troquinha, minha gente! Não é o máximo?

Além do Mão Feita, também vai ter muita gente legal, se liguem:

palestra sobre redes sociais com a querida Patrícia Moura, a @MissMoura;
oficina de scrapbooking com a Lu Pimentel (@Luciana);
além de atividades pra mulherada interagir, organizada pela linduxa @biattrix.

E ainda tem arrecadação de alimentos não perecíveis e brinquedos (já que estamos perto do Natal) para o Dispensário dos Pobres da Imaculada Conceição, instituição localizada em Botafogo. Vamos colaborar?

Já sabe, né? Marca na agenda, com caneta marca-texto: dia 14 de Novembro, em Botafogo, tem Luluzinha Camp! Leve a sua caneca (olha o meio ambiente), coloca uma roupicha confortável e bela e prepare-se pra conhecer muita gente legal! A gente espera você lá!

1 2