Browsing Tag

livros

Trocando livros no Skoob
entretenimento, leituras

Trocando livros no Skoob – dicas e outros

Não sei vocês, mas eu adoro o Skoob. No começo, tinha um pouco de preguiça da rede social, achava que era meio besta ficar mostrando pro mundo os livros que a gente lê/tem/quer. Porém, depois eu comecei a achar legal o fato da gente ficar mostrando pro mundo os livros que a gente lê/tem/quer, até como forma de arquivar o que estamos lendo em uma determinada época da vida. Adoro passar alguns minutos passeando por lá, em busca de novas leituras. E foi numa dessas andanças que eu percebi uma galera falando de troca de livros.

Bom, antes de falar das trocas, vamos falar um pouco do Skoob. Trata-se de uma rede social onde as pessoas falam basicamente de… livros. Aliás, perceberam que skoob é books ao contrário? TA-DA! :D Voltando: existe um acervo enorme de livros cadastrados. Você pesquisa um determinado título pelo nome ou autor e ali encontrará muitas informações sobre o mesmo. Resenhas, avaliações, editora que lançou, edições do livro… Muitas editoras inclusive participam do Skoob em páginas exclusivas e também alguns fóruns. É muito bacana navegar por livros já lidos e aqueles que você quer ler um dia.

Foi assim que eu conheci a seção de Trocas, uma funcionalidade exclusiva para os usuários PLUS da rede. Nem vou me alongar na explicação porque o próprio Skoob explica bem direitinho como se tornar PLUS e como fazer trocas aqui.

Minha experiência trocando livros

Segui todos os passos e cadastrei aqueles livros que eu não queria mais aqui em casa. Muitos deles, inclusive, estavam abandonados na casa da minha mãe e eu acabei trazendo justamente pra doar em algum bazar. Como achei a logística meio inviável, fiquei tão encantada quando conheci o universo de trocas do Skoob. Em poucos meses, eu já enviei uns 8 livros para leitores em vários lugares do Brasil.

Trocando livros no Skoob

esses são alguns dos meus livros disponíveis para troca

Trocando livros no Skoob

esses são alguns dos livros que eu quero – mas tá difícil conseguir…

Você pode solicitar seu primeiro livro depois de concluir dois envios. Dependendo de onde a pessoa morar, o único jeito é fazer via Correios. É possível solicitar envio de impresso, que sai bem mais em conta na hora de pagar. Acaba compensando bastante o valor do frete com o valor dos livros. Mas o principal é: desapegar do que você jamais vai ler, dando chance para outras pessoas curtirem algo que você já gostou.

É uma brincadeira muito gostosa, viu? Com o tempo você vai ficando cada vez mais esperto! Ah, deixo vocês com algumas dicas:

- Há usuários que pedem 2 créditos por um determinado livro. Geralmente são livros mais hypados ou muito grandes.

- Livros bombados são trocados bem rápido. Fique atento e seja rápido na hora de entrar em contato com algum usuário que tenha disponibilizado pra troca aquele livro que você tanto deseja.

- Negocie, sempre. Às vezes aquele usuário tem um livro que você quer há tempos e é possível fazer uma proposta, um bem-bolado que o cara acaba aceitando.

- Leia as avaliações de cada usuário antes de trocar. Premissa pra vida, né? Certifique-se de que a pessoa é de confiança e que vai fazer a entrega do seu livro em bom estado e em prazo satisfatório.

- Se vais trocar um livro: seja honesto. Tá com orelha na capa? Deixe claro pro usuário que fez a solicitação. Nada pior do que receber um produto em condições ruins, né? Não é bacana.

- Tenha cuidado na hora de embrulhar o livro para o coleguinha. Eu uso sempre plástico bolha e papel pardo. Imagina só, você separou o livro novinho, mas por algum descuido na hora do transporte, ele chega o pó no destinatário? Não bom… Você pode acabar sendo prejudicado nessa troca. Tenha o máximo de cuidado, portanto.

Se eu lembrar de alguma outra dica, compartilho com vocês! E por aí, já rolou troquinha no Skoob?

Pra quem quiser trocar livros comigo, ou mesmo fuçar minha biblioteca, é só clicar aqui. E quem quiser deixar o link dos respectivos perfis, é só aproveitar o espaço nos comentários!

O outro lado da sombra | Maionese
leituras

Resenha: O outro lado da sombra, Mariana Portella

O outro lado da sombra | Maionese

Um sujeito inseguro, ansioso e um tanto depressivo que tem dois únicos prazeres na vida: a música e a literatura. Desacreditado desde a infância até mesmo pela mãe, Soren nunca soube o significado de felicidade. Mas nunca desistiu de tentar se encontrar e de buscá-la.

Ao escolher os primeiros livros da parceria com a Rocco, mal sabia que iria me jogar em dois títulos um tanto quanto bucólicos e poéticos ao mesmo tempo. Skagboys, de Irvine Welsh, é um passeio e tanto pelo submundo das drogas e da falta de oportunidades. E O outro lado sombrio, romance de estreia de Mariana Portella, é também uma busca por felicidade, quando tudo está – aparentemente – perdido.

Soren, nosso protagonista, acorda de um coma após um acidente e se vê diante da obrigação de recomeçar. Em meio a muitas reflexões e sentimentos que perturbam a mente do ser humano, Soren segue em busca de respostas e também de realização pessoal. São tantos questionamentos que você acaba interrompendo a leitura algumas vezes para pensar na própria vida, no rumo que as coisas vão tomando. PS: de vez em quando me vejo acordando subitamente, como se acordando de um coma, e repenso a vida como ela se configura no momento. Estaria eu fazendo o melhor por mim? Se esse fosse um dia para recomeçar?

Mais do que uma viagem física – de um lugar para o outro – , Soren viaja, de fato, é para o interior de si mesmo:

Por um momento houve a escuridão e nela vi que sua beleza estava ausente. Com a consciência de que tal viagem não se acabaria, guardei tudo aquilo que certamente teria buscado fora dali, afinal, a verdadeira jornada encontrava-se em mim, sendo desnecessário afastar-me, ir tão longe de casa e, quando a escuridão me envolver, devo manter os olhos cerrados e passos delicados, procurando equilíbrio na sinuosa superfície do medo.

O desfecho é surpreendente e muito bonito. A leitura flui de forma leve mesmo com tanta introspecção e devaneios por vezes sombrios e até paranóicos. Livro mais que recomendado!

Ficha Técnica

Título: O outro lado da sombra
Autor: Mariana Portella
Editora: Rocco
206 páginas
Skoob

Trainspotting | Maionese
leituras

Resenha: Skagboys, Irvine Welsh

Skagboys | Maionese

O primeiro livro de um autor a gente nunca esquece. Foi assim o meu debut com a escrita de Irvine Welsh, logo com uma obra de pirar a cuca. Skagboys (lançado pela Rocco) é o oitavo romance do autor escocês e encerra a trilogia iniciada por Trainspotting. O livro, com tradução de Daniel Galera e Daniel Pellizzari, nos apresenta o “antes” dos personagens Renton, Spud, Begbie e Sickboy, que conhecemos em Trainspotting (eternizados no filme dirigido por Danny Boyle em 1996).

Trainspotting | Maionese

Oi, Dr. Owen!

Uma curiosidade: Skagboys foi escrito 20 anos depois de Trainspotting, embora se situe cronologicamente como o 1º livro da trilogia. É nesse primeiro livro que vamos conhecer os personagens e acompanhar o encontro dos mesmos com o submundo das drogas, vivendo em uma comunidade de classe média baixa. Acompanhamos a transformação do grupo de amigos nos típicos junkies em uma cidade sombria, sem muitas cores e boas energias. Aliás, aqui cabe uma característica muito interessante da escrita de Irvine: a naturalidade com a qual ele nos joga nesse cenário triste, repleto de crimes, frustrações e desamores.

Skagboys narra a jornada de rapazes promissores a jovens viciados na heroína que inundaram sua comunidade em desintegração. Estamos numa época de drogas, pobreza, AIDS, violência, conflitos políticos e ódio – mas também muitas risadas, e talvez um pouquinho de amor; uma década que mudou a Grã-Bretanha para sempre.

São quase 600 páginas onde o leitor mergulha em uma Edimburgo afundada pela crise econômica. A única salvação está na heroína, que se torna a melhor amiga de Renton e sua turma. PS: toda vez que leio um livro onde já assisti ao filme, é impossível não enxergar o ator toda vez que você vê o nome dele. Ewan McGregor é MUITO Renton, pelo amor de Deus.

Ainda não li Trainspotting nem Pornô mas posso dizer que amei muito Skagboys. Os diálogos são incríveis, poder ler o diário de reabilitação também. Você se sente mais do que expectador mas parte do grupo, sofrendo toda a pressão de sobreviver em uma cidade onde o desemprego e a falta de esperança no futuro são gritantes. Há pouca saída senão sucumbir. E mesmo com toda essa merda, é possível dar risada e amar muito cada um deles. É o tipo de leitura que quando termina, deixa saudade.

Ficha Técnica

Título: Skagboys
Autor: Irvine Welsh
Editora: Rocco
592 páginas
Skoob

Minha Querida Sputnik, Haruki Murakami
leituras

Resenha: Minha Querida Sputnik, Haruki Murakami

Minha Querida Sputnik, Haruki Murakami

Fui seduzida pela capa desse livro, depois de ver que alguns amigos tinham lido o próprio no Goodreads (estou por lá também, quem quiser me adicionar, clica aqui). Li a sinopse, achei bacana. Dei uma pesquisada no autor e achei ainda mais interessante. Haruki Murakami faz parte da escola de autores japoneses que tem conquistado cada vez mais fãs no mundo todo. Há quem ame e quem odeie, pois parece que ele aborda com alguma frequência certos assuntos:

Bingo Haruki Murakami

Brincadeiras à parte, “Minha Querida Sputnik” conta a história de Sumire, uma jovem de 22 anos, sem muitas vaidades e super low profile. Sua história é narrada pelo melhor amigo, V., que além da amizade também nutre um certo amor platônico pela moça. Os dois se conhecem na faculdade, porém Sumire acaba abandonando o curso pois deseja mergulhar de corpo e alma no sonho de se tornar romancista. Seria tudo perfeito se não fosse por um pequeno detalhe: falta à jovem fã dos romances de Jack Kerouac uma grande inspiração para escrever. Aquela paixão por algo que Sumire ainda não conhece. Um grande amor? Uma decepção? Falta, certamente, algo. E ela não sabe bem o que é.

A situação muda quando Sumire conhece Miu, uma belíssima mulher 17 anos mais velha. Sumire, que até então se sentia um ser assexuado, percebe que a história não é bem assim. As duas se conhecem em uma festa e ali surge uma grande amizade, apesar da diferença de idade e de estilos (Miu é bem-sucedida, super vaidosa, porém guarda alguns segredos).

A partir desse dia, o nome particular de Sumire para Miu foi Querida Sputnik. Sumire adorou o som da expressão. Fazia com que pensasse em Laika, a cadela. O satélite feito pelo homem riscando a negritude do espaço sideral. Os olhos escuros, brilhantes da cadela olhando fixo pela janela minúscula. Na solidão infinita do espaço, para o que a cadela poderia estar olhando?

Miu acaba contratando Sumire com assistente pessoal e as duas embarcam juntas por uma viagem de trabalho pela Europa. A viagem acaba tomando ares de férias e cada vez mais Sumire se vê envolvida emocionalmente com Miu. Até o dia em que toda a tensão sexual entre as duas chega ao fim e aí temos o grande turning point do romance. A partir dessa reviravolta, que não vou contar pra não estragar a história, já não sabemos o que é real e o que é fantasia. Achei muito interessante o desenrolar da história pois é poética a forma com a qual o autor nos coloca praticamente na mente e no coração das personagens. Mergulhamos nos mistérios e particularidades dos três (Miu, Sumire e V.) e só assim conseguimos sentir as angústias e desejos de cada um deles.

Eu esperava que o final fosse um pouco diferente. Confesso que fiquei meio sem entender o que, de fato, aconteceu. Não sei se isso é bom, ruim, gostaria até de conversar com outras pessoas que também leram o romance pra clarear algumas ideias. No mais, foi o primeiro livro que li do autor e gostei muito de muitas referências que ele inseriu, bem como comentários e descrições detalhadas de lugares que fizeram com que eu me sentisse realmente no Japão sem nunca ter ido. Valeu a leitura.

Ficha Técnica

Minha Querida Sputnik
Autor: Haruki Murakami
Alfaguara
232 páginas
Skoob

Garota Exemplar | Maionese
filmes

Resenha: Garota Exemplar, Gillian Flynn

Garota Exemplar | Maionese

Garota Exemplar foi um dos livros mais comentados dos últimos meses. Ao postar a capa no Instagram, amigos com gostos bem diferentes vieram opinar. A maioria favorável ao livro, outros tacando pedra. Ao dar início à leitura, entendi boa parte das reclamações… Mas conto ao longo do post.

Escrito por Gillian Flynn, a obra circula no terreno do thriller policial, mas também tem um pé no psicológico. São mais de 400 páginas contando a história do casal Nick e Amy Dunne, ambos na casa dos 30, enfrentando dificuldades na vida profissional e também na vida amorosa. Após 5 anos de casamento, o desaparecimento sinistro de Amy vira a vida de Nick de cabeça pra baixo, bem como da cidadezinha no Missouri, pra onde o casal se muda devido às condições de saúde dos pais de Nick.

Garota Exemplar | Maionese

O livro é contado a partir do ponto de vista dos personagens Nick e Amy. Aliás, esse é um dos elementos mais inteligentes e incríveis do livro. A capacidade que Gillian Flynn teve para construir narrativas tão interessantes e diferentes para as personagens, que dão suas versões para praticamente os mesmos fatos – e como esse formato enriquece a trama, gente! Uma hora, estamos com ódio de Nick… de repente, passamos a gostar dele e a odiar Amy! Esse amor-ódio pelos personagens nos acompanham até a última página do livro porque sim, ambos são apaixonantes e tão reais… seus problemas enquanto casal bem como enquanto indivíduos nos fazem pensar na delicadeza das relações humanas, os pequeno detalhes que podem transformar toda uma história de vida.

Garota Exemplar | Maionese

Dividido em três partes, Garota Exemplar é um livro que pode ser cansativo no começo – muita gente largou antes das 100 primeiras páginas. NORMAL! Realmente achei um tanto arrastado e até engatar custou um pouco. Mas, no meu caso, fui pega pela curiosidade em saber onde aquele trem ia chegar… e confesso que da segunda parte em diante… não conseguia largar a leitura!

Nick e Amy podem parecer loucos em muitos momentos e você até vai ficar com medo da humanidade diante de alguns fatos (porque como tem gente desse tipo por aí). Porém, é impossível não se identificar com algumas passagens e, até mesmo, com diálogos. A intimidade do casal é algo tão real, sabe? As piadas internas, o olhar que um personagem tem do outro… A autora consegue nos mostrar a real natureza das personagens e isso é apaixonante na literatura. Confesso que esperava um cadinho mais do final do livro. Cheguei a ler umas três vezes a última página pra poder aceitar que a história acabava daquele jeito. Mas não achei ruim, não.

Garota Exemplar | Maionese

Garota Exemplar foi adaptado para o cinema, com direção de David Fincher e roteiro por… Gillian Flynn – que inclusive reescreveu o final da história para a telona. Nick Dunne é vivido por Ben Affleck. Rosamund Pike dá vida à Amy e eu preciso confessar uma coisa pra vocês: depois de assistir ao trailer, tive a certeza absoluta de que Amy é Rosamund e vice-versa! Já tô contando os dias para essa estreia!

Ficha Técnica

Garota Exemplar
Autor: Gillian Flynn
Intrínseca
448 páginas
Skoob
Goodreads

Esse post faz parte do Desafio Literário do Tigre 2014 – livro de abril >> Hype do momento.

Resenha: Clube da Luta | Maionese
leituras

Resenha: Clube da Luta, Chuck Palahniuk

Resenha: Clube da Luta | Maionese

Our generation has had no Great Depression, no Great War. Our war is spiritual. Our depression is our lives.

Clube da Luta foi um livro que comprei em inglês, ao viajar para os Estados Unidos pela primeira vez. Lembro que estava fazendo hora no aeroporto de Miami e naquela curiosidade em fazer a primeira compra com dólares em espécie, numa lojinha norte-americana, avistei uma edição do livro e não hesitei em comprar. Que curioso, né? O primeiro ato de consumo no país símbolo do consumismo foi um livro do Chuck Palahniuk.

Acabei emprestando o livro pra uma amiga e ele se perdeu por aí. Tempos depois, comprei essa versão da LeYa Brasil e ele ficou lá na estante, esperando por uma oportunidade de ser devorado. O momento chegou ao fim no mês passado, quando selecionei a obra para o Desafio Literário do Tigre. E como o tema sugere, “Filme ou Livro”… vem aí mais uma discussão: muita gente me alertou sobre o filme ser bem melhor que o livro. Um desses raros casos onde “quem vem depois” supera “quem veio antes”. Confesso que tenho dificuldade para ler um livro já retratado nas telonas. Isso porque fico presa a imaginar como seria o rosto do personagem, a voz, os trejeitos… só vejo ator x ou y na minha frente. Mesmo assim, mergulhei de cabeça no universo de caos e niilismo proposto pelo autor.

Clube da Luta é um livro que vai mexer com você. A história é narrada por um homem entre 30 – 40 anos, que tem uma vida confortável porém sofre de alguns males da nossa geração pós-moderna: a insônia. Aliás, seria esse um mal ocasionado pelo excesso de informação? Nosso cérebro simplesmente não consegue se desplugar da tomada, pois é bombardeado o tempo inteiro por notícias, ofertas, conversas… Difícil conseguir um tanto de paz. Pois voltando ao livro, o personagem tem a vida transformada ao conhecer Tyler Durden, uma figura cheia de mistério e pensamentos radicais a respeito do mundo, que se torna uma espécie de guru espiritual do nosso personagem principal.

Clube da Luta | Maionese

A narrativa é em primeira pessoa e por vezes com pensamentos jogados como se estivéssemos na mente do personagem. No começo é um pouco confuso mas depois você pega o ritmo. Ao longo da leitura, somos bombardeados por frases de efeito, dessas que anotamos em post-its e colamos na porta do armário, pra não esquecer. De forma ácida, Chuck Palahniuk dá o recado:

Clube da Luta | Maionese

Clube da Luta toca em várias feridas do nosso cotidiano e vai fazer o seu cérebro cozinhar. Os diálogos entre Tyler e o narrador poderiam acontecer nesse minuto com um estranho no meio da rua. O olhar perspicaz de Tyler sobre questões aparentemente bobas, mas que nos sacodem por dentro. Sem falar que Marla, a única personagem feminina do livro, é um dos seres mais estranhos que já vi em livros. Ao mesmo tempo em que é tão incrível e apaixonante.

Não vou falar muito da história pois pode ser que quem chegou até aqui não saiba do que se trata. O filme, adaptado por David Fincher e estrelado por Edward Norton & Brad Pitt, é muito incrível – chocante como a equipe pescou perfeitamente as nuances propostas por Chuck no livro. Mas se você viu o filme e não leu o livro, saiba que apesar de ser uma ótima adaptação pro cinema, o desfecho da história é diferente no papel. Se preferi um ao outro? Vou dizer que deu empate! Recomendo ambos. Tem como não amar uma história que toca tão bem nas feridas e que ainda deixa de herança um acervo de quotes pra vida?

Clube da Luta | Maionese

Clube da Luta | Maionese

Clube da Luta | Maionese



Ficha Técnica


Clube da Luta
Autor: Chuck Palahniuk
Intrínseca
257 páginas
Skoob

Esse post faz parte do Desafio Literário do Tigre 2014 – livro de março >> Filme ou livro.

Crédito das imagens: Pinterest.