Posts Tagged ‘viagem’

Reflexos de Paris

Reflections-of-Paris1

Quem nunca teve vontade de fazer as malas e passar uns dias em Paris? Seja para “turistar” nos locais mais clichês possíveis, para fazer compras ou comer macarons com croissants e café… Paris é uma cidade incrível.

A historiadora francesa Joanna Lemanska decidiu retratar a cidade das luzes de uma forma um pouco diferente: sob o reflexo dos prédios e afins na água de poças, lagos e afins. O resultado é uma série lindíssima, que bateu de um jeito tão gostoso nessa tarde nublada de março. Aquela sensação de “um dia passearei por aí”.

Reflections-of-Paris10 Reflections-of-Paris9 Reflections-of-Paris8
Reflections-of-Paris14 Reflections-of-Paris11 Reflections-of-Paris7Reflections-of-Paris3 Reflections-of-Paris2

Via Fubiz.

Roadtrip USA

O fotógrafo Mike Matas resolveu sair de férias com a namorada por duas semanas. O objetivo: cruzar os Estados Unidos, de uma ponta à outra. Foi assim que o casal partiu em um carro alugado, de São Francisco até Nova Iorque.

O resultado é esse vídeo lindíssimo que você assiste clicando aqui ou no player abaixo.

2 semanas. 3 mil milhas. 5 mil fotos. Em 3 minutos.

[Dicas de Viagem] Onde ficar em Buenos Aires

Era pra ser um post com dicas de hospedagem em Buenos Aires, Montevidéu e Punta del Este. Porém, achei mais proveitoso para o leitor do meu humilde blog desmembrar as postagens por localidade. Fica mais interessante pra ler, menos confuso, enfim, de maior serventia pra você salvar no Delicious ou simplesmente tirar um insisght ou outro das minhas experiências.

Apesar de ter feito turismo, não sou guia viu? Vou logo avisando: toda e qualquer informação publicada aqui é a opinião de uma mocinha que juntou alguns trocados e resolveu “pular Carnaval” beeem longe da folia carioca. Preparados? Vamos lá!

A Viagem

Viajei no Carnaval desse ano (2012) para a Argentina e Uruguai. A ideia era curtirmos ao máximo as cidades, economizando na hospedagem pra poder gastar com diversão e alimentação. Escolhemos hostels, com quartos coletivos. Éramos um grupo de 6 pessoas, 3 casais, apenas em Montevidéu ficamos em quartos separados.

Carnaval > fevereiro > verão. Anotem aí: sempre, sempre dar aquela checada no clima da cidade que você vai visitar antes de reservar o hotel/hostel. Sabe por que? Imaginem só vir ao Rio de Janeiro em pleno dezembro e ao chegar no quarto ter um mero ventilador teco-teco? Morte por desidratação na certa. Ou então o contrário: cidade com baixas temperaturas e o quarto não ter aquecedor? Acontece, minha gente! E nesses casos, é preciso fugir dessas opções.

Buenos Aires

Fiquei hospedada no Milhouse Avenue. Ele fica super bem localizado, na Avenida 25 de Mayo, possibilitando mil e um passeios à pé. Também fica perto da estação do metrô e de vários cafés charmosos e com preço camarada. Querendo andar de táxi também é super tranquilo, tem sempre um carro disponível na rua.

Nosso quarto cabiam seis pessoas. Aquela coisa, quarto coletivo, beliche, coisa e tal. Demos a sorte de ficar em um quarto super arejado, de frente pra rua principal. Havia uma varandinha super gostosa, permitindo ao hóspede algumas fotos lindas e um ventinho no fim da tarde. O quarto também tinha banheiro privado, que é tudo na vida de quem se hospeda em hostel. Água quentinha, pra relaxar o corpo depois de uma caminhada “daquelas”.

Vista do meu quarto, de frente pra Avenida 25 de Mayo

O Milhouse é considerado um dos hostels mais bacanas da América do Sul, recebendo centenas de visitantes do mundo todo. É maravilhoso pra quem está em busca de diversão, pois há festinhas com DJ e Quilmes no copão de 500 ml. Sem falar que há comidinhas deliciosas servidas no bar, perfeito pra quem quer atacar algo mas tá com preguiça de ir na rua. Pra quem quer cozinhar, o hostel oferece um espaço com fogão, pia e geladeira.

Área de convivência – ao lado do bar e com wifi liberado

Grafite belíssimo nas paredes do Milhouse

E nas paredes do hostel… El Eternauta!

O hostel oferece muitas dicas de diversão para o visitante, como o passeio de bicicleta por Buenos Aires, que não fiz graças ao meu joelho. Há também tour pelos principais pontos turísticos, mas com uma pegada um pouco mais alternativa. É um hostel pra quem gosta de agito mas sem perrengue. Tem elevador, quartos arejados, atendentes simpáticos e a mocinha da limpeza está constantemente dando aquele “tapa” nos banheiros. Não tirei muitas fotos das instalações mas vocês podem dar aquele confere aqui.

Dicas por todos os lados, é só olhar para as paredes!

Logo ao lado, está o Los 36 Billares, que oferece um café da manhã com sanduíches, sucos e café. Ao longo de toda a Avenida 25 de Mayo, há boas opções gastronômicas – para um café da manhã farto ou almocinho rápido. Resumindo: o que mais tem é opção para se alimentar, algumas delas bem em conta, outras nem tanto. Ainda assim, vale a pena. Muito mais barato comer em Buenos Aires do que comer no Rio de Janeiro, por exemplo.

***

Antes de viajar, fiz uma pesquisa na internet e com amigos de aplicativos uteis pra ter no celular. Seguem algumas sugestões, algumas gratuitas, outras não. Os aplicativos são para iPhone e iPad mas certamente você encontra versão dos mesmos para Android. Se duvidar, tem aplicativo até melhor.

TripAdvisor

Frommer’s Travel Tools

Packing Pro

Lonely Planet Buenos Aires (o guia “físico” é muito bom mas pra quem quer investir num app, vale a pena)

Punta Del Este DMTrip

Montevideo Travel Guide

Rama

Infraero Voos Online

Mas, cá entre nós: eu não dispensei o bom e velho roteiro no caderninho. É aquela, nem sempre haverá wifi disponível na hora de acessar alguma info importante. Utilizar o pacote de dados da operadora brasileira está fora de cogitação. Nada melhor do que o bom e velho papel e caneta! Além do caderninho, carreguei comigo um guia super baratinho de Buenos Aires, da Folha – esse aqui – com mapas de bolso e sugestões de passeios e etc.

***

No próximo post da série “Dicas de Viagem”, trarei informações de hospedagem em Montevidéu. Aguardem! :)

[Intro] Buenos Aires, Montevidéu e Punta del Este em 10 dias

Caminhadinha e um dia nublado em Buenos Aires

Eu tô devendo esse post desde março, eu confesso. Aconteceu tanta coisa desde o Carnaval pra cá que quando eu olho pra 2012, caminhando pra maio, penso que já passou uma vida desde o meu aniversário e o diagnóstico de um cisto, que me levaria pra mesa de cirurgia pela 1ª vez.

Recebi uma mensagem no Facebook outro dia, de uma querida que nunca vi pessoalmente mas que gosto um tantão de graça. Ela me pediu dicas de viagem de Buenos Aires, Montevidéu e Punta del Este, justamente porque ela fará a mesma trip com amigos nas próximas semanas. Percebi que era o momento de escrever algumas linhas sobre uma das viagens mais legais da minha vida, cheia de bonitezas, gostosuras e bons ares. Dividirei o post em três partes:

  • Onde ficar: na verdade, esse tópico deveria se chamar “onde ficar/NÃO ficar”. Porque nem tudo são flores, né? Mas, o que foi uma experiência ruim pra mim pode ser a melhor opção de hospedagem pra você e o seu bolso.
  • Onde passear: o que fazer além de visitar pontos turísticos lotados e com filas gigantes? Nem sempre dá pra fugir de programas de índio (até porque eles podem ser bem divertidos).
  • Onde comer: acho que essa é a minha parte preferida (Gordelícias feelings). Faltou espaço no estômago pra comer tudo o que eu queria nessa viagem… Mas, deu pra aproveitar e, por incrível que pareça, ainda voltar mais magra pra casa. Isso porque toda a comida que você coloca pra dentro é queimada em boas doses de caminhada pela cidade.

Vou escrevendo aos poucos, até porque é muito detalhe e referência pra incluir nos posts. Mas, se Deus quiser, virão dicas bacanas pra deixar a sua viagem ainda mais legal. Ou apenas entreter o leitor com imagens bonitas.

Uma viagem pela América do Sul

A história é mais ou menos assim: um belo dia, você decide que chegou a hora de conhecer com os próprios olhos o mundão de Deus que você vê nas revistas de viagem e fotografia. Cenários incríveis, passado e presente, cotidiano, gente diferente. Você prepara uma boa mochila de roupas e compra uma passagem de ida pro Peru, retornando pelo Brasil. E assim surge uma viagem incrível, pela América do Sul.

A experiência foi retratada no vídeo abaixo, intitulado “Inti-Ñan”. Confesso que fiquei muito emocionada com a parte do Peru, não somente porque ali há um pouco da minha herança familiar mas por toda a história que aquele lugar tem. O vídeo todo é incrível e vale a pena assistir os 6 minutos de vídeo e stop motion que seguem.

Só não curti a parte do futebol no Engenhão. Não foi legal ver o rapaz aos berros quando o Botafogo marca um gol no meu Vascão. Mas, ainda assim, é uma passagem bonita do vídeo. 

É tão bonito quando você vê nos filmes lugares que já conheceu. Dá uma sensação de pertencer mais ao mundo, que é tão grande e rico, né? :)

Matrioskas-Zumbis e mais alguns recadinhos

Quando eu tiver minha casinha, certamente vou ter um cantinho reservado para entulhar todos os meus toys e fofuras que acumulei ao longo desses trinta anos. Atualmente, boa parte deles está disposta em duas prateleiras no meu quarto, ao lado de alguns livros e CDs. Sou doida por bonequinhos e mimos!

Minha última paixão foi essa matrioska-zumbi. Vai ter gente torcendo o bico, afinal era pra ser algo bonitinho. Mas diz pra mim se a ideia não é boa? Eu achei divertidíssimo!

Por 14 dólares você compra o seu, na lojinha gringa ThinkGeek.

A dica é do Blog de Brinquedo.

***

Cheguei ontem de uma viagem super bacana de 10 dias por Buenos Aires, Montevidéu e Punta del Este. É claro que vai ter post especial e cheio de dicas aqui no blog, mas antes preciso organizar todas as fotos, reunir as informações que registrei no bloquinho (restaurantes, nomes dos pratos) e nascerá um conteúdo super caprichado pra vocês.

Enquanto viajava, compartilhei algumas fotos no Instagram. Pra quem quiser saber o que andei comendo por lá, é só clicar aqui.

um pouco de música, bons amigos e alegria

Aproveitei o feriadão de Corpus Christi muito bem, obrigada! Malas no carro, partimos pra Rio das Ostras, uma cidade do Rio de Janeiro localizada na Costa do Sol (vulgo Região dos Lagos), que vem crescendo absurdos nos últimos anos impulsionada pelos royalties do petróleo. Uma gracinha de lugar! Mas, o que nos levou a esses dias de descanso e lazer por lá não foi a cidade em si mas um festival de jazz e blues que rolou por lá. Além da música, rolou também muita pipoca com queijo provolone e churros coberto E recheado de doce de leite.

Alimentação saudável pra que, né? Ah, me dei um descanso! Era impossível resistir ao cheirinho de pipoca salgada com queijo, vai? :)

Esses são alguns cliques (obrigada, Instagram) de parte do que foi o meu feriado: uma cidade bonita, amigos e um coração preenchido.

Ah, e #ficadica musical: escutem Roberto Fonseca.

Um pouco do Carnaval

Depois de longos dez dias longe de casa, em um pequeno pedacinho de paraíso logo ali, no Peró, na Região dos Lagos Rio de Janeiro, estou de volta. E, depois dessas pequenas férias, não poderia voltar mais bem disposta, descansada e feliz. Paz de espírito é tudo que a gente precisa pra seguir em frente, zerados, para (re)começar novos projetos. Era tudo que eu precisava para encarar novos desafios.

Nesses dez dias, fez chuva e fez Sol; fez frio e calor. Teve mosquito de dia, de noite; amigo chorão, novas amizades, algumas ficaram ainda mais fortes. E o meu amor por ele só cresceu… <3

Teve muita comida gostosa, além do macarrão nissim clássico das viagens em grupo. Pão com ovo na padaria, churrasco, “suco gummy” – minha mais nova especialidade – e sacolé de uva. É claro que tudo que eu perdi na academia ganhei de volta, né? Mas, mesmo com os kg a mais (nem me pesei ainda pra não entrar em depressão) e com o cabelo acabado de cloro e sal e dor nas costas – graças ao colchão extremamente macio da casa que alugamos – tô com a barrinha de energia cheia!

Obrigada a todos os envolvidos nessa viagem tão incrível!

E eu não consigo tirar essa música da cabeça: Goose – Synrise.

dia 06 – uma experiência inesquecível

Uma das coisas mais legais que eu já fiz na vida, sem dúvida, foi ter ido pra Vail, nos Estados Unidos, morar lá por uns tempos.

Além da experiência de morar sozinha e poder consumir feito louca alucinada nas terras do Tio Sam, vivi a sensação de ver neve pela primeira vez.

Tentativa de boneco de neve. Nesse dia a neve não tava legal pra bonecos.

Amanhecer na montanha. E um rabo de cavalo gigante.

É fofinho e gelado. E molha.

A primeira vez que vi tudo branco me deu vontade de chorar. É tudo tão diferente! Cada cor ganha mais destaque, por mais que a paisagem não varie muito de branco, verde (das árvores) e um cinza, dos dias nublados (alternando com dias de céu azul e frio que corta a alma).

Saudade.